(67) 99826-0686

Operação Herodes: delegada colhe depoimento de jovem que enterrou feto no quintal

A jovem teria feito aborto e polícia suspeita que mãe teria participado

16 MAI 2017
Rodson Willyams e Anna Gomes
09h33min
Foto: Arquivo TopMídiaNews

A delegada titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude (DEAIJ), Aline Sinotti, aguarda a chegada do pai de uma adolescente de 17 anos para colher depoimento. A jovem é suspeita de cometer aborto com ajuda da mãe e ter enterrado o feto no próprio quintal, em Campo Grande. A Operação foi batizada de 'Herodes' e visa combater a realização de aborto clandestino na Capital.

Conforme informações da delegada Aline, a mãe da adolescente está entre as três pessoas que tiveram o pedido de prisão temporária decretada pela 1ª Vara do Tribunal do Júri, de Campo Grande. Além disso, a Polícia Civil ainda cumpriu mais quatro mandados de busca e apreensão.

À reportagem, a delegada disse que alguns objetos foram apreendidos, porém, não revelou quais foram para não atrapalhar as investigações. Além da Deaij, a operação conta com a parceria do Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico (DENAR).  Às 11 horas, está prevista uma coletiva de imprensa sobre o caso na Diretoria Geral de Polícia Civil, em Campo Grande. 

O caso

Em março deste ano, a adolescente foi apontada pela Polícia Civil de cometer aborto e ter enterrado o feto no próprio quintal da residência em que mora. Há suspeita é que a mãe tenha ajudado a adolescente.

O celular da jovem de 17 anos foi recolhido e chegou a passar por perícia para confirmar se a mãe da menor tinha ou não conhecimento do aborto que ela cometeu. Um dia após o caso, a perícia, a menor e a mãe retornaram à residência para esclarecer algumas divergências. 

Na época, a delegada Aline Gonçalves Sinnott, disse que o retorno ao local foi para saber se havia a possibilidade da menor ter feito tudo sozinha. "Ela disse que não teve a ajuda da mãe em nenhum momento e fez tudo sozinha. A menor também estaria há dois dias fazendo jejum e ingerindo apenas um chá abortivo", explicou.

Segundo Aline, quando expeliu o feto, a menor decidiu enterrá-lo no quintal da residência. Após a ação, ela teria ligado para o namorado e contado o que tinha acontecido. Conforme o depoimento, a mãe da adolescente não sabia que ela estava grávida. A denúncia do aborto foi feito à polícia pelo namorado e sogra da menor. 

A polícia apreendeu o celular da menor e do namorado, mas as conversas já haviam sido apagadas. Agora, ambos aparelhos passarão por perícia para mostrar como os fatos ocorreram.

De acordo com a delegada, a menor responderá por ato infracional de aborto e poderá ser apreendida. Caso seja comprovado a participação da mãe no crime, ela também será responsabilizada. A menor estava grávida de 21 semanas.

Veja também