festival de reggae
erro medico
(67) 99826-0686

Líder, Timão aguenta pressão e aposta no contra-ataque

Timão deixa rival com a bola, aposta em contra-ataques, sai na frente, se fecha ainda mais, marca mais um gol e chega a 27 partidas de invencibilidade

13 JUL 2017
Globo Esporte
09h25min
Foto: Reprodução

Foi o tipo de jogo que o Corinthians gosta: o adversário com maior posse de bola, o Timão apostando nos contra-ataques, abrindo o placar, fechando-se ainda mais, aproveitando o espaço do adversário para marcar mais um gol e, no final, garantindo a vitória. Assim, o líder fez nova vítima, ao vencer o rival Palmeiras por 2 a 0, fora de casa, na última quarta-feira.

A postura do Palmeiras contra o Corinthians foi a esperada: se impôs para tentar o gol. Com 15 minutos, as estatísticas apontavam para 72% de posse de bola do Verdão, que pressionava, tentava forçar erros e tentava sair na frente – algo que ninguém conseguiu contra o Corinthians até agora nesta edição do Campeonato Brasileiro.

O Alvinegro, com a bola nos pés, apostou em subidas pelos lados do campo, com Guilherme Arana/Romero e Fagner/Jadson. Foi assim que, aos 21 minutos, o paraguaio tocou para o lateral-esquerdo, derrubado por Bruno Henrique dentro da área. Pênalti que Jadson converteu.

Eficiente, o Corinthians suportou a pressão palmeirense o tempo todo. Foram 18 finalizações palmeirenses e "só" três do Timão. E 32 bolas levantadas na área de Cássio.

Com qualidade, o Timão foi perigoso na transição ofensiva, criando outras boas jogadas. O segundo gol saiu em outro contra-ataque: Arana tocou para Romero, recebeu na frente e chutou, sem chance para Fernando Prass.

Por se tratar de um clássico, o fator nervosismo esteve presente. Rodriguinho abusou das faltas e poderia até ter sido expulso – levou o terceiro amarelo e não pega o Atlético-PR. Fagner perdeu a cabeça e levou até bronca de Jadson ao pé da orelha. Mesmo assim, o time terminou com 11.

A invencibilidade do Corinthians chegou a 27 partidas. Um feito impressionante. São apenas duas derrotas na temporada. Nenhuma derrota em clássico. Na tabela, 35 pontos em 39 possíveis. Quem para o líder?

 

Veja também