Menu
sábado, 27 de novembro de 2021 Campo Grande/MS
pmcg revia negocios
Campo Grande

Aos quatro anos, cura do câncer de Pedro pode chegar com simples ato de solidariedade

Cadastro para doação de medula precisa de apenas 5 ml do sangue de quem pode salvar uma vida

21 agosto 2018 - 11h10Por Amanda Amaral

Com apenas um ano e oito meses de vida, o diagnóstico de uma doença grave mudou a rotina da família de Pedro Rafael. Hoje com quatro anos de idade, o garoto segue em busca da cura, que tem caminho de chegada a partir de um transplante de medula.

Há anos, o menino realiza tratamento médico para o câncer, Leucemia Linfoide Aguda (LLA), no Hospital Regional de Campo Grande. A doença foi descoberta na fase inicial, após Pedro reclamar de dores na perna.

Desde então, foram realizadas diversas sessões de quimioterapia e radioterapia. Devido à melhora em seu quadro de saúde, chegou a ficar três meses fora do tratamento, mas retornou assim que fase preocupante da doença foi novamente identificada.

A mãe, Lorrayne dos Santos Silva, de 24 anos, relata que há fator genético no desenvolvimento da doença, que já foi diagnosticada em outro familiar paterno. Devido ao tratamento, ele ainda não conseguiu começar a frequentar a escola, e os pais e avó revezam a companhia ao garoto no hospital.

“Ele está internado, pelo menos até o final do mês. Se encontrarem doador, assim que ficar melhorzinho faz todos os exames e vai para hospital em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, fazer a cirurgia”, explica.

Como doar

Pessoas entre 18 a 55 anos, que estejam com boa saúde, podem doar. São retirados 5ml de sangue, como um exame de laboratório, e o doador é cadastrado no REDOME – Registro Brasileiro de Doadores Voluntários de Medula Óssea do INCA – Instituto Nacional do Câncer.

Seus dados genéticos são cruzados com os dos pacientes que precisam da medula. Se der compatibilidade genética através do exame HLA, a doação pode ser realizada. Porém, para ter compatibilidade a chance no Brasil é de uma em cem mil e com alguém de outro país de uma em um milhão.

Se for compatível o doador é avisado e então passa por exames para constatar que está em boas condições de saúde. O procedimento dura aproximadamente 90 minutos e não causa dor, já que é feito com anestesia.

Em Campo Grande, as doações podem ser feitas nos locais abaixo:

Hemosul, na Avenida Fernando Correa da Costa, 1304, Centro.
Fones: 3312-1500 3312-1517
Segunda-feira à sexta-feira: 7h às 17h
Sábado: 7h às 12h

Hospital Regional, na Rua Engenheiro Lutherio Lopes, 36, Aero Rancho.
Fone: 3378-2678
Segunda-feira à sexta-feira: 7h às 12h