TJMS JANEIRO
Menu
quinta, 20 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Campo Grande

Após abandono e judiação, cachorro ganha novo lar e é só alegria em Campo Grande

Animal foi encontrado abandonado na rua e, após ser internado em uma clínica, recebeu uma nova casa para viver alegre e feliz

17 outubro 2021 - 09h30Por Vinicius Costa

O cachorro que foi vítima de abandonado e até de uma 'má conduta' de supostos funcionários do CCZ (Centro de Controle de Zoonose) no mês de setembro deste ano, ganhou um novo lar e segue em plena felicidade na Vila Margarida, em Campo Grande.

Quem encontrou o animalzinho em uma situação adversa foi Larissa Rocha, mas quem adotou o animal foi sua amiga Fernanda, que estava com ela no dia que encontraram o cachorro e o recolheram para levá-lo a uma clínica.

No dia 13 de outubro, ele comemorou um mês de casa de nova.

Segundo Larissa , o animal ficou três dias internado em uma clínica veterinária e contou com a ajuda de vizinhos para ganhar ração. Por conta do apego inicial, a mulher decidiu adotá-lo em definitivo, mesmo com a ideia de entregá-lo para sua mãe, que morava no interior de Mato Grosso do Sul.

Larissa ainda mantém em sua memória o episódio do encontro do cachorro, a atuação dos supostos funcionários e toda a dor e a ajuda necessário para tirar o animal daquela situação. Ela conta que não quis ir mais atrás dos funcionários por entender que houve uma mudança na vida do animal.

"Só acho um despreparo, existe cachorro agressivo, mas no caso dele estava tão frustrado, não precisava daquela força".

Naquela ocasião, a 'má conduta' descrita pela mulher causou ferimentos na boca e na língua do cachorro, precisando passar por atendimento médico. Existia a suspeita dele estar com leishmaniose, mas a única doença detectada havia sido a do carrapato.

Houve uma conversa de que o caso seria levado para a Decat (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e de Atendimento ao Turista), mas não houve avanço.

Entenda o caso

Larissa usou as redes sociais para relatar a história que havia acontecido no dia 13 de setembro, na Vila Margarida, em Campo Grande.

Ela e uma amiga notaram a presença de um cachorro abandonado perto da casa da colega e ouviram de vizinhos que o animal havia sido colocado naquela situação no sábado, dia 11 de setembro.

Em sua reclamação, a mulher explicou que algumas pessoas estavam tentando oferecer água e comida, mas o bicho evitava maior proximidade. Porém, dois funcionários em um veículo da Sesau chegaram no local para recolher o animal e levá-lo ao CCZ.

De acordo com a denunciante, ela pediu um auxílio dos funcionários para ser colocado uma coleira no animal, pois a intenção era levar o cachorro para uma clínica e avaliá-lo para uma futura adoção.

No entanto, ainda conforme o relato, a mulher explicou que o animal não reagia, não estava agitado, mas rosnava por estar assustado com a situação ao tentar colocar a coleira. Mesmo assim, os dois funcionários teriam usados dois enforcadores para tentar agarrar o pescoço e depois teriam colocado um pedaço de madeira na boca do animal.

A mulher e as demais pessoas que acompanharam a situação pediram para que os funcionários soltassem o cachorro. Com a liberação, a reclamante assinou um termo e a equipe foi embora do local.

"Nunca vi tanta violência com um animal que não oferecia resistência, pois nem andava, mas estava assustado, que rosnava por medo, mas que estava quieto, sem intenção de fuga", reclamou.