Menu
terça, 07 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
pmcg revia negocios
Campo Grande

Esfaqueador de Jair Bolsonaro já está em Campo Grande

Adélio Bispo vai ficar em cela isolada e não poderá receber visitas por 15 dias

08 setembro 2018 - 12h10Por Celso Bejarano e Thiago de Souza

Sob um forte aparato de segurança Adélio Bispo de Oliveira, 40, que golpeou com uma facada na quinta-feira passada (6), em Juiz de Fora (MG) o candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, já está em Campo Grande. O agressor será levado para o IMOL (Instituto de Medicina e Odontologia Legal), onde será examinado e levado para o Presídio Federal.

Bispo, já de cabeça raspada, vai ficar em cela isolada, de 7 metros quadrados e sem direito à visita por ao menos 15 dias. Só os advogados que o defendem podem conversar com ele. Sua transferência para o presídio de Campo Grande foi solicitado pela Polícia Federal por questão de segurança.

O avião que conduziu Bispo para Campo Grande saiu de Juiz de Fora, pousou em Ribeirão Preto (SP), depois seguiu viagem. O aparelho aterrissou na capital sul-mato-grossense por volta das 11h45 minutos.
Aguardavam ele, já dentro do aeroporto, policiais federais e agentes do presídio.

O advogado Zanone Manoel de Oliveira Júnior, que defende Adélio, informou que a defesa concordou com a transferência dele para um presídio federal, a fim de garantir sua integridade.

O advogado também disse concordar com o indiciamento de seu cliente pelo Artigo 20 da Lei de Segurança Nacional, que fala em “praticar atentado pessoal ou ato de terrorismo, por inconformismo político".

ATAQUE

A PF investiga a possibilidade de o preso ter agido com mais duas pessoas no ataque a Bolsonaro. Uma pessoa foi detida ainda na quinta-feira, mas logo foi solta por falta de provas.

Ainda de acordo com a defesa de Bispo, ele teria ficado contrariado com Bolsonaro no início deste ano quando ficou sabendo de uma fala do candidato do PSL acerca da comunidade Quilombola. Bolsonaro teria dito que os quilombolas, “nem para procriar servem”. Bispo se considera negro, segundo o advogado.

Bispo vivia numa pensão, em Juiz de Fora, havia duas semanas, antes de esfaquear o candidato. Durante a passeata, na parte central da cidade, Bolsonaro era carregado por simpatizantes, rodeado de centenas de pessoas. Havia seguranças perto do candidato, incluindo um policial federal.

Ainda assim, Bispo aproximou-se e, já perto de Bolsonaro, sacou uma faca e aplicou-lhe o golpe. O agressor foi logo dominado, espancado e entregue à polícia. Bolsonaro foi atendimento rapidamente, motivo pelo qual se salvou. Ontem, sexta-feira (8), ele foi transferido para o hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde se recupera.

Adélio Bispo deve ficar no presídio, em Campo Grande, por tempo indeterminado. Ele saiu pela manhã de Juiz de Fora. Bispo será indiciado com base na Lei de Segurança Nacional.