TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
domingo, 26 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
Campo Grande

Tutor denuncia pet shop por morte de cachorro no Caiobá; clínica se defende

Dono alega que pet shop não fez o teste de parvovirose no animal; proprietário rebate que não houve erro médico-veterinário

05 janeiro 2022 - 17h00Por Vinicius Costa

Homem decidiu procurar as redes sociais, nesta terça-feira (4), para denunciar um caso envolvendo um filhote de Rottweiler que ele havia comprado. Segundo a acusação, as vacinas aplicadas por um pet shop, no Portal Caiobá, teriam levado o animal à morte, em Campo Grande.

Na publicação no grupo "Aonde Não Ir em Campo Grande", o dono do animal expõe que levou o filhote para tomar a vacina e vermifugar, mas acabou tendo séria dor de cabeça ao vê-lo morrer dias depois.

Segundo a denúncia, o cuidador buscou o Pet Shop atrás da vacina V8, mas os veterinários indicaram a vacina da gripe e o vermífugo.

Ainda de acordo com a publicação, o estabelecimento "não fez o teste rápido de parvovirose porque segundo a doutora, eles não tem lá", e acrescentou ser obrigatório que oferecesse a vacina e o teste.

"Meu filhote, que pague R$ 2 mil. Agora meus filhos estão em prantos. Vou no pequenas causas", finalizou.

A publicação causou revolta e muitos comentários de internautas que haviam passado por situações semelhantes, mas em outras clínicas, pet shops e estabelecimentos de tratamento de animal.

O outro lado

Nesta quarta-feira (5), um dos proprietários do local apresentou sua defesa no comentário da publicação. Ele lamentou a perda do animal, mas ressaltou que não houve nenhum erro médico-veterinário por parte do pet shop.

"O próprio laboratório da vacina de gripe indica que pode ser feita a partir de 8 semanas de idade e que pode ser feita junto de outra vacina. Inclusive no WSAVA, guia internacional de vacinação, onde há todos os direcionamentos sobre vacinação, diz a mesma coisa: pode ser aplicado 2 vacinas no mesmo dia", explicou.

O proprietário alega que existem documentos que foram enviados para o dono do animal. Uma das hipóteses levantadas era de que a morte poderia acontecer por choque anafilático, mas foi descartada pelo pet shop.

Sobre a obrigação do teste de parvovirose antes da vacinação, o dono do pet shop disse que não é bem assim, mas que os testes da doença são feitos antes da vacina se o animal estiver com os sintomas existentes.

"Se o seu animal estivesse com sintomas, ele não teria sido vacinado. Foi perguntado ao senhor se o animal estava com vômito, diarreia, tristeza ou falta de apetite, e para todas elas a resposta foi não".

O rapaz salientou que o filhote não apresentou febre no momento da vacina e nem sintomas de potenciais doenças, além de confirmar que o tutor disse que o animal estava bem clinicamente.

"Realmente ficamos tristes com a notícia, mas trazer a público informações sem comprovação podem ser entendidas como calúnia e difamação", finalizou.