TJMS JANEIRO
Menu
quinta, 20 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Campo Grande

Mais de 152 mil famílias comemoram o início do programa “Conta de Luz Zero”

Os consumidores que usarem até 200 kWh por mês não precisarão pagar a tarifa de energia elétrica pelos próximos 14 meses

12 janeiro 2022 - 11h56Por Rayani Santa Cruz

Aproximadamente 152 mil famílias sul-mato-grossenses iniciaram 2022 com mais um alívio no orçamento doméstico. Isso porque, o Governo do Estado iniciou, neste mês, o pagamento das contas de energia elétrica de famílias em situação de vulnerabilidade social, através do programa “Energia Social – Conta de Luz Zero”.

Conforme a lei que estabelece o benefício, entram no plano as residências que utilizam até 200 kWh por mês, tendo uma faixa de consumo em torno de R$ 118,00. As famílias atendidas não precisarão pagar a tarifa de energia elétrica pelos próximos 14 meses.

Com o programa, o Governo do Estado estende, mais uma vez, a mão para as famílias mais necessitadas nesse período de pandemia, como pontua o governador Reinaldo Azambuja.

“Existe uma camada grande de pessoas que empobreceram na pandemia, e estamos cumprindo nosso papel de prestar assistência a essas famílias mais vulneráveis, pagando as contas de luz, 100% custeadas pelo Governo do Estado, tanto a energia quanto os tributos PIS, Cofins e Cosip”, finalizou.

Para serem contempladas as famílias devem estar inscritas no Cadastro Único (Cadúnico) do Governo Federal e já serem beneficiadas com a “Tarifa Social”. Uma das beneficiadas é a diarista Flávia Alves, que mora no bairro Colúmbia com o esposo e a filha pequena.

“Com essa pandemia tudo ficou mais caro. Além disso, começo de ano tem IPTU para pagar e, com a isenção da luz, foi muito bom porque aliviou bastante”, disse.

Os beneficiários receberam a conta do consumo referente ao mês de dezembro, zerada. Na área identificada como "atenção", destacada com a cor laranja na parte de trás, o último item aponta se a pessoa está inseria ou não no “Energia Social – Conta de Luz Zero”.

O programa estará em vigor até janeiro de 2023 e pode ser prorrogado pelo mesmo período de 14 meses.