TCE JUNHO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
segunda, 27 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
Campo Grande

No meio de pandemia, proposta é trocar nome de teatro do Paço e revolta família Guizzo

Filha considerou a proposta, feita na live de Mandetta, 'sem jeito' e decepcionante

08 agosto 2020 - 12h35Por Thiago de Souza

Daniela Guizzo, filha do falecido escritor José Octávio Guizzo, se surpreendeu ao saber que foi sugerida a retirada do nome dele do teatro do Paço Municipal, em Campo Grande (Prefeitura). Ela lamentou a falta de respeito e de memória a quem tanto contribuiu para a cultura regional. 

A filha Daniela assistiu a uma live no Instagram do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta. O tema era ‘’Um papo das memórias e futuro: Teatro do Paço – José Octávio Guizzo". Na conversa, grandes nomes da cultura regional, como Almir Sater, Paulo Simões, Lenilde Ramos e Geraldo Espíndola. 

''Fui surpreendida, porque todos eles sugeriram tirar o nome do meu pai do letreiro do Paço'', lamentou Daniela. A ideia era de substituir pelo nome da Professora Maria da Gloria de Sá, outro grande ícone da intelectualidade sul-mato-grossense. 

Ainda que a homenagem à ''Professora Glorinha'' seja justa, não seria razoável tirar o nome do pai, reflete Daniela. 

''A ideia me soou bastante inadequada, isso para usar um adjetivo gentil'', lamentou Guizzo. Ainda na transmissão ao vivo, a filha diz que se surpreendeu ao ouvir alguns dizendo frases como ''não conheci o Guizzo, mas acho que era um cara legal'' e ''Guizzo não iria se importar ao ceder o nome para a amiga, é só um letreiro''. 

Filha defendeu obras do pai José Octávio Guizzo. (Foto: Repórter Top)

Daniela foi ao Facebook repudiar as falas dos artistas, o que gerou polêmica. 

''Meu pai não precisa de defesa, de justificativas, de homenagens, de letreiros, muito menos de políticos que ao menos o conhecem...'', exclamou Daniela na rede social. 

''Ele [José Octávio] é único, eterno e imortal. É o maior ativista cultura, sem antecedentes e precedentes'', refletiu a filha. Ela ainda destacou que, nesse momento de tanta negação da Cultura, releu os livros do pai e encontrou as respostas que precisava. 

Por fim, a filha destacou: 

''Meu pai e a Glorinha não mereciam esse tipo de proposta. O nome dele é insubstituível e ela certamente não gostaria de substituir o nome dele. Que proposta sem jeito. Decepção'', desabafou.