TCE ABRIL 16 A 22/04
Menu
segunda, 19 de abril de 2021
Cidade Morena

Na mão dos noias: jockey club vira abrigo para uso de drogas em Campo Grande

Moradores pedem socorro e alertam para o perigo por quem trafega na região

08 abril 2021 - 13h00Por Dany Nascimento

Moradores do bairro Paulo Coelho Machado não aguentam mais a aglomeração de usuários de drogas no Hipódromo Aguiar Pereira de Souza, espaço conhecido por realizar corridas de cavalos antigamente. O espaço fica na rua Delegado Alfredo Hardman, em Campo Grande.

Diariamente, o local, que aparenta estar abandonado, vira abrigo de usuários. Segundo uma moradora, que prefere não se identificar, homens e mulheres estacionam veículos na entrada e utilizam as arquibancadas para o uso de droga. 

“É assim o dia todo, dá medo de passar por ali. A maioria é jovem, tem até adolescente subindo com eles. Nós, moradores, ficamos reféns, porque eles vão lá, usam a droga e depois saem loucos por aí, comentando roubos e furtos pelo nosso bairro”, diz a mulher. 

Ela conta, ainda, que uma vizinha dela foi assaltada e discutiu com o ladrão. “Minha vizinha ia entrar em casa, era 14h, e o cara foi com tudo com uma moto no portão da casa dela. Ele mandou ela entregar o celular, ela não entregou, falou que não ia dar, quando ele viu o filho da minha vizinha na porta, xingou ela de vagabunda e saiu”. 

Segundo os moradores, algumas pessoas utilizam o estacionamento do Jockey para treinar para as provas de motoristas do Detran–MS, já que a baliza foi desenhada e existem dois ‘carrinhos’ no local para treinar estacionamento. 

“As pessoas não têm condições de pagar aulas, vem aqui para treinar, até as autoescolas vem aqui com os alunos, mas eles sentem medo. Os usuários ficam passando, manjando quem está com celular para eles levarem. É triste, nossa região é muito boa, é um bairro muito bom aqui, mas temos esse problema”, dizem os moradores. 

O local está depredado, todo pichado. “Eles quebraram tudo, dizem alguns moradores que esse espaço pertence a um empresário, mas agora com ele preso, está totalmente abandonado e quem está sofrendo com isso, somos nós, os moradores”, finaliza a mulher.

Prefeitura

O TopMídiaNews entrou em contato com a prefeitura,que informou que a denúncia foi encaminhada para a Guarda Civil Metropolitana verificar a situação.

"Esta denúncia pode ser feita por meio do telefone de reclamação da Guarda 153. Como é uma área particular, a denúncia tem que partir do proprietário. A denúncia foi encaminhada para a guarda para verificação do local", disse a assessoria da prefeitura.