Maracaju II dengue agosto 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
terça, 16 de agosto de 2022 Campo Grande/MS
Dengue agosto
Campo Grande

PODE ISSO? Loester Trutis carrega PMs de folga como seguranças a tiracolo

Secretaria de Justiça e Segurança Pública promete investigar a situação dos policiais

16 julho 2020 - 17h00Por Thiago de Souza

O deputado federal Tio Trutis (PSL) participou, nesta quinta-feira (16), de um protesto de mães que têm filhos especiais e que não estariam recebendo suplementos necessários por parte da Prefeitura de Campo Grande. O que chamou a atenção foi o fato do parlamentar estar junto a dois policiais militares, que não estavam em serviço, atuando como segurança particular. 

Apesar de gargantiar ter dois seguranças, apenas um é realmente policial militar. O outro seria assessor do parlamentar.

Conforme imagem produzida por uma testemunha, um dos dois militares usava roupa semelhante a da PM e uma máscara com o brasão do BOPE, que tem uma faca cravada em uma caveira. 

A testemunha alertou que policiais não podem prestar serviços de segurança particular, nem mesmo de folga. O que piora a situação é que os homens estavam com roupas muito parecidas com a da corporação, o que pode confundir a população durante uma ocorrência. 

O fato dos dois policiais serem amigos do deputado e estarem o acompanhando também causa estranheza, já que, de igual forma, estariam vestidos com roupa de trabalho, o que é proibido. 

Trutis gravou um vídeo junto com as mães em frente ao Centro de Especialidades Médicas, no São Francisco. O deputado pertence a chamada ‘’bancada da bala’’ no Congresso e defende as forças de segurança pública. 

O deputado Trutis disse que, desde fevereiro, anda com escolta e com carros blindados, além de diversas outras medidas de segurança. 

''Os detalhes dessas medidas não podem ser compartilhados, para não comprometer a eficiência.''. 

A assessoria da PM informou que a conduta do policial será apurada. No entanto, destaca que o agente estava de folga e que nessas condições o agente não representa a corporação, mesmo assim o caso será apurado pela Corregedoria. 

(matéria editada às 18h12 paera acréscimo de informações)