Menu
domingo, 24 de janeiro de 2021
Covid 18/01 a 24/01
Cidades

Associação repudia agressor que espancou mãe de autista e cobra treinamento da PM

Mesmo algemada, mulher foi agredida por PM; mulher teria pedido agilidade na confecção do prato para a criança e discutido com a dona do restaurante

24 novembro 2020 - 11h00Por Rayani Santa Cruz

Após a divulgação, de que uma mulher, de 44 anos, mãe de uma criança com autismo, foi espancada por um policial militar em Bonito, mesmo algemada, a  Associação de Mulheres com Deficiência de MS (AMDEFMS), através da presidente Mirella Ballatore, emitiu nota de repúdio ao tenente envolvido e pediu punição.

A Associação tomou conhecimento do caso onde a vítima foi violentamente espancada pelo 2º Tenente e Comandante da Polícia Militar em 26 de setembro, e manifesta indignação. 

“Diante disso, vimos a público repudiar e manifestar a nossa indignação com o caso. Um agente público, cujos provimentos são provenientes dos cofres públicos e que deveria zelar pela segurança das pessoas, teve atitude de extrema violência. A vítima estava algemada!”, diz trecho da nota.

A Associação ainda expressou solidariedade à vítima e sua família onde reafirmou sobre as condições de estresse de mães de crianças com deficiência. A vítima foi ao um restaurante e pediu “arroz e feijão” para a filha autista e pediu agilidade na entrega para a menina não chorar. Na versão dela, a dona do local se irritou, as duas discutiram e a mulher chamou a menina de “verme da sociedade”. A mulher foi presa por desacato no hotel onde iniciaram as agressões que terminaram no Batalhão da PM.

“Reafirma a defesa do direito dos (as) cuidadores (as) das pessoas com deficiência, que em sua maioria, são mulheres, pessoas submetidas cotidianamente a alto grau de estresse e que necessitam atenção especial da sociedade e órgãos públicos.  Mulheres que têm direito aos cuidados, a serem respeitadas e terem prioridade de atendimento, em qualquer ambiente”.

Punição ao agressor

“Nada justifica a agressão. Reafirmamos a necessidade de que o agressor seja punido de acordo com a lei, e que a situação não seja banalizada como mais uma para dados estatísticos”. 

Capacitação aos profissionais e respeito as leis

A AMDEFMS defende também a urgência da capacitação dos agentes de segurança, para que sejam melhor preparados e, também, empresários e trabalhadores (as) da rede de turismo para que sejam qualificados profissionalmente e psicologicamente para contornarem conflitos e respeitarem as prioridades, conforme preconiza a Constituição Federal. “E esperamos que a mãe e a filha tenham acompanhamento adequado por parte de equipe de profissionais multidisciplinares da Prefeitura Municipal de Bonito”.

A Associação

A AMDEFMS realiza atendimento, a defesa e a garantia de direitos sociais para mulheres com deficiência e familiares. Promove o protagonismo das mulheres com deficiência, bem como, das meninas adolescentes, jovens com deficiência e suas mães, idosas com deficiência. A AMDEFMS busca o fim das desigualdades sociais e realiza ações voltadas ao combate da discriminação as mulheres em situações de violência.