(67) 99826-0686
Festival inverno 18/07 a 19/07

Época de manga: no raciocínio de ministra, pobres de MS só não passam fome de setembro a janeiro

Declaração de Tereza Cristina repercutiu nos principais sites do país

10 ABR 2019
Thiago de Souza
19h39min
Foto: Arquivo - TopMidiaNews

Se acompanharmos o raciocínio da Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, de que brasileiros pobres não passam fome porque existe manga em todas as cidades do país, teremos que no estado, os menos favorecidos só não passam necessidades de setembro a janeiro, época da fruta. A fala da dirigente foi repercutida pelo site UOL nesta terça-feira (9).

Os dados da produção de manga são da Embrapa Cerrado, que fica no Distrito Federal.  No período de produção de frutos, é muito comum encontrar a manga em quintais, terrenos baldios e bosques subespontâneos.

É comum ver a cena de garotos subindo nas mangueiras e saindo com sacolas cheias de mangas. Outra forma de conseguir a fruta barata é comprando das índias, que ficam próximas ao Mercadão Municipal, em Campo Grande. As nativas geralmente comercializam a espécie ''espada'' a um preço mais baixo.

Existe a comercialização da fruta em outras épocas do ano. Porém, não é nada fácil para uma pessoa de baixa renda comprar. No Ceasa, na Capital, o quilo do produto sai a R$ 6,67, praticamente o mesmo preço de um quilo de coxa e sobrecoxa de frango, que neste caso é capaz de alimentar pelo menos cinco pessoas.

Entre novembro e janeiro, manga é abundante em MS. (Foto: Reprodução Folha MS)

Curiosidade

A manga veio do sul da Ásia e tem nome científico de Mangifera indica L e chegou ao Brasil na mão dos portugueses.

Os tipos mais comuns no Brasil são: manga rosa, espada, bourbon, ourinho e Tommy Atkins.

Veja também