Menu
Busca quarta, 13 de novembro de 2019
Cidades

Mãe de rapaz autista diz que filho foi espancado sem razão e revela ameaças

“Nunca fez isso, nem em casa, ele não deixa nem a gente dar banho", relata

15 agosto 2019 - 15h00Por Nathalia Pelzl

A comerciante Evelin Fereli, 44 anos, saiu em defesa do filho autista, rapaz de 19 anos espancado por vizinhas no bairro  São Francisco, em Campo Grande. Ela nega que o jovem tenha ficado nu e mostrado as partes íntimas para as agressoras.

“Ele nunca fez isso, nem em casa, ele não deixa nem a gente dar banho. Ele estava comigo, aí, de repente, pegou o controle e saiu. Quando tem as crises é de repente, ele sai correndo. Ele não gosta de ser tocado, só se ele conhece muito bem as pessoas. Ele tem autismo leve para moderado, não gosta muito do toque”, pontua.

De acordo com Evelin, o filho foi ameaçado para não passar  mais na frente da residência, além disto, as agressoras sabiam do transtorno.

“Uma falou que ele chegou e deu um tapa e ela revidou, mas foram três mulheres. Foi o tempo de eu colocar um chinelo e ir a trás dele. Eu ouvi a gritaria tudo, ele voltou todo vermelho. Sabe que ele é autista, elas sabiam onde ele morava, viessem me chamar, agora pegar e bater nele? Falaram pra ele não passar mais lá na frente”, relata.

Ela fala que mora com o filho no bairro desde que ele nasceu, sendo que todos o conhecem e sabem que ele sofre com o transtorno. Como o autismo do jovem é de grau leve a moderado, ele leva uma rotina tranquila, faz academia, terapia, e tem crises a cada seis meses, segundo a mãe.

“Ele gosta de dar uma volta na quadra. A única coisa que ele faz é ir de uma esquina a outra, pega uma sacola com DVD e na outra o celular, o cachorro vai junto”, defende.

Evelin conta que até o avô do jovem foi ameaçado pelo marido de uma das agressoras. “O marido de uma delas ameaçou meu pai que tinha ido conversar. O marido de uma delas saiu com um pedaço de pau”, conta.

Ela fala que acredita que a violência foi por maldade e que agora vai seguir em busca dos seus direitos. 

Entenda o caso

Rapaz autista foi agredido na última terça-feira (13), após entrar em uma residência e supostamente mostrar as partes íntimas, no bairro São Francisco, em Campo Grande. 

As pessoas responsáveis pelas agressões foram parar na delegacia e contaram saber do transtorno da vítima, no entanto, esse tipo de perturbação estava sendo constante.

Eles afirmaram ainda que o rapaz teria dado um tapa no rosto de uma das agressoras, que revidou. Além disto, outros vizinhos também estariam incomodados com a perturbação causada pelo jovem.  

Todos prestaram esclarecimentos e o caso foi registrado como ameaça e vias de fato, na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro.