TCE Novembro
Menu
domingo, 05 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
CAMARA - vacinaçao
Cidades

Menino com paralisia e microcefalia fica sem alimentação especial; governo resolve problema

Cada caixinha do alimento para um dia vale R$ 29; Estado retomou fornecimento hoje

19 setembro 2018 - 17h00Por Dany Nascimento

Revoltada com a falta da dieta do filho no SUS (Serviço Único de Saúde), a dona de casa Waléria Otávio dos Santos Pereira, 31 anos, denunciou, ao TopMídiaNews, o caos que vem enfrentando ao tentar adquirir a caixinha que o filho necessita para se alimentar através de uma sonda fornecido pela CAFE (Casa da Saúde).

De acordo com Waléria, Matheus Otávio dos Santos, 13 anos, tem paralisia cerebral e microcefalia e, após determinação judicial, o Estado é obrigado a conceder o alimento para a família mensalmente. “É a dieta em geral trópic1.5 ou fresubim ou peptamen ou febrini. Desde o início do mês de setembro eu estou tentando pegar o medicamento, mas eles falam que está em falta. Há cinco anos eu pego a dieta dele lá, já enfrentei problemas como esse antes e agora eu preciso que seja resolvido”.

A mãe destaca que funcionários da Casa da Saúde alegam que não têm previsão para que a dieta esteja disponível. “Eles falam que estão comprando, mas não sabem quando terá. É a única alimentação do meu filho, sem isso eu vou ter que dar comida normal para ele, mas não é recomendado pelo médico, porque é a dieta que faz ele ganhar peso”.

Waléria explica que voltou a procurar a Defensoria Pública, solicitando medidas de urgência. “Eu procurei e agora tenho que levar a receita dele novamente. Não temos condições de comprar, cada caixinha para um dia custa R$ 29”.

Governo do Estado

Após ser procurada pela reportagem, a Secretaria de Estado de Saúde resolveu o problema. Em comunicado, a assessoria do órgão informou que "a dieta mencionada somente é fornecida através de ação judicial. Os medicamentos judicializados são fornecidos mediante receita e as compras são de forma individualizada. A dieta mencionada está em processo de compra". 

"A secretaria Estadual de Saúde entrou em contato com a família e também com a nutricionista do paciente e ofereceu uma alternativa similar, até que o mesmo passe por consulta no Instituto Cotolengo e consiga uma nova receita médica para fornecer a dieta adequada à idade do paciente. A família irá retirar a dieta na tarde desta quarta-feira", finalizou a SES.