Menu
Busca sexta, 13 de dezembro de 2019
Cultura

FASP 2019: General Rondon se transforma na “Avenida da Latinidade”

O FASP termina neste domingo, com shows musicais, culturais, teatro, danças, literatura, cinema, artes plásticas, artesanatos e palestras.

17 novembro 2019 - 08h12Por Diário Corumbaense

Público do Festival América do Sul tem variedades nas participações que além das atrações regionais, nacionais e internacionais do Pantanal, há a possibilidade também de conhecer e apreciar artesanato, artes plásticas e literários. Os stands abrem das 15h até às 23h, na avenida General Rondon, centro de Corumbá.

A Abertura foi na última quinta-feira (14) e desde então, muita gente passa pelo local para conferir o artesanato de Mato Grosso do Sul e dos países Peru, Argentina, Venezuela, Paraguai, Bolívia e Colômbia.

Para Fernando Thiago, que estava acompanhado da esposa, o FASP tem um papel importante, que é fomentar ainda mais a troca de saberes e informação entre os povos sul-americanos.

“O festival traz essa riqueza de cultura para Corumbá, várias nações e países importantes, traz o conhecimento e nos proporciona essa troca de saberes. O contato faz com que possamos tratá-los com mais importância”, falou Fernando.

Já Marisa Nascimento, não resistiu e acabou levando para casa um artesanato indígena. Ela descreveu o festival como uma ferramenta que mostra um mundo ainda desconhecido.

“É uma peça muito linda. A cultura indígena nos remete muitas coisas, levo não pelo objeto, mas pelo significado que ele tem. O festival é muito bom, abre os nossos olhos para um país desconhecido, onde por mais que sejamos estudantes, trabalhadores, esquecemos e não conhecemos essas culturas essenciais para a nossa existência”, falou Marisa ao Diário Corumbaense.

O que chama a atenção também no FASP é o espaço cedido para o artesanato de Corumbá. Os artesãos expõem os trabalhos e aproveitam para conseguir uma renda extra.

Com sabonetes artesanais dos mais variados aromas, Luciana Espinoza disse que o espaço é essencial. “Além de a gente estar aqui mostrando o nosso trabalho é uma renda extra que entra. O festival sempre nos dá essa oportunidade para mostrarmos o nosso trabalho", destacou Luciana que oferece velas de citronela e sabonetes de camomila, capim cidreira e erva doce. “Nesse tempo em que estamos passando, temos que nos 'virar nos 30', aflorar nossa criatividade e desenvolver o empreendedorismo”, completou.

O espaço Mostra MS destina-se à exposição e comércio de produtos do Estado dos setores criativos das artes visuais, design, moda sustentável, gastronomia regional, saberes tradicionais e editorial. Os expositores são: Fábio Roberto Vitor - Fábio Quill (Artes Visuais), Felipe Domingos Monteiro – Tamanduá Café (Gastronomia), Beatriz Branco de Araújo – Angí (Gastronomia), Sandra Padilha (Moda), Jaqueline Rosa Augusto – de UNA (Moda), Ana Helena de Sampaio Mattos – YBÁ Cosméticos (Saberes e Fazeres Tradicionais), Virginia Ly Lito Pinto – Aguapé (Saberes e Fazeres Tradicionais), Angérica Hidemi Ohashi - Eko Presentes (Design de Móveis e Objetos).

O stand da Literatura conta com a participação das instituições literárias de MS para lançamentos de livros, declamações, divulgação e comercialização de suas obras. Foram convidadas para compor o stand a Academia Sul-Mato-Grossense de Letras (ASML), Academia Feminina de Letras e Artes de MS (AFLAMS), União Brasileiras de Escritores de Mato Grosso do Sul (UBE/MS) e ALEC. A Tenda Saberes Indígenas tem artesanatos e atividades culturais com a participação das etnias do Estado.

Com a Galeria de Artes Visuais, o Museu de Arte Contemporânea de Mato Grosso do Sul (MARCO) participa do FASP enaltecendo os renomados artistas paraguaios pela contribuição de seus trabalhos que serviram como inspiração para as novas gerações por meio de suas técnicas e possibilitando um ponto de vista sobre esses diferentes universos em suas obras.

O Festival conta também com a curadoria de Ruberth Román Añez na seleção de renomados artistas bolivianos, compondo o acervo da mostra internacional de artes visuais, propondo novas leituras de acervos latino-americanos. Artistas expositores: Júlio César Alvarez (Paraguai), Júlio Gonzalez (Paraguai), Selmo Martinez (Paraguai), Luiz Vera (Paraguai), Juan Britos (Paraguai), Jamir Johanson (Bolívia), Roxana Molina (Bolívia) e William Añez Duran (Bolívia).

O FASP acontece até domingo, 17 de novembro, com shows musicais, culturais, teatro, danças, literatura, cinema, artes plásticas, artesanatos e palestras.