Menu
domingo, 25 de outubro de 2020
Cultura

Os melhores livros de 2013 segundo os prêmios

Livros

17 dezembro 2013 - 12h17Por Estadão

Com a publicação nesta segunda, no Diário Oficial, dos vencedores dos prêmios da Fundação Biblioteca Nacional, encerra-se a temporada 2013 de prêmios literários. Entre os ganhadores das nove categorias (R$ 12.500 para cada um) estão Veronica Stigger, com o romance Opsianie Swiata; Cintia Moscovich, com o livro de contos Aquela Coisa Brilhante Que é a Chuva; e Armando Freitas Filho com os poemas de Dever.

Com exceção de Moscovich, premiada também com o Portugal Telecom (R$ 50 mil), não houve unanimidade nas escolhas dos jurados dos principais prêmios do País.

Para o Jabuti (R$ 3.500), o melhor romance foi O Mendigo Que Sabia de Cor os Adágios de Erasmo de Rotterdam, de Evandro Affonso Ferreira. Para o Portugal Telecom (R$ 100 mil, incluindo o grande prêmio do ano), foi O Sonâmbulo Amador, de José Luiz Passos. Já o júri do Prêmio São Paulo (R$ 200 mil) elegeu Barba Ensopada de Sangue, de Daniel Galera, que tinha ficado com o 3.º lugar do Jabuti. E o Passo Fundo Zaffari & Bourbon escolheu Infâmia, de Ana Maria Machado.

Entre os poetas premiados este ano estão Ademir Assunção, que ganhou o Jabuti por A Voz do Ventríloquo, e Eucanaã Ferraz, cujo Sentimental foi o melhor de sua categoria no Portugal Telecom (R$ 50 mil).

Cintia Moscovich ganhou, então, o Portugal Telecom (R$ 50 mil) e o da FBN (R$ 12.500) na categoria conto. E Luis Fernando Verissimo, cronista do Caderno 2, ficou com o Jabuti.

A Academia Brasileira de Letras também reconheceu escritores e pesquisadores. Seu grande prêmio, o Machado de Assis, no valor de R$ 100 mil, foi dedicado ao crítico e escritor Silviano Santiago. Entre os outros ficcionistas homenageados com prêmios de R$ 50 mil estão Antonio Cicero (poesia), Lya Luft (ficção, romance, teatro e conto) e Luiz R. Machado (infantojuvenil).

Outro reconhecido pelo conjunto da obra, mas desta vez pelo Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura, foi Ferreira Gullar, que ganhou R$ 120 mil. Há, ainda, o reconhecimento de obras inéditas de ficção (R$ 25 mil) e os vencedores foram Nilton Cezar Tridapalli (romance) e Rogério Luz (poesia).

Já o júri do Paraná de Literatura, que também escolhe a melhor entre as obras inéditas inscritas, premiou o romance Meu Primeiro Morto, de Jaci Palma (SP), os contos de Ensaio Sobre o Entendimento Humano, de Caetano Galindo, e os poemas de Fábulas para Adulto Perder o Sono, de Adriane Garcia. Cada autor receberá R$ 40 mil e terá a obra editada pela Biblioteca Pública do Paraná.

O Prêmio Sesc, para autores inéditos, ficou com O Evangelho Segundo Hitler, de Marcos Peres, na categoria romance, e Noveleletas, de João Vereza, em contos.

Leia Também

Mato Grosso do Sul reduz índices de violência durante pandemia
Polícia
Mato Grosso do Sul reduz índices de violência durante pandemia
Presidente da Samsung morre aos 78 anos
Geral
Presidente da Samsung morre aos 78 anos
Pedestre morre após ser atropelado por motorista 'fujão'
Interior
Pedestre morre após ser atropelado por motorista 'fujão'
Homem é espancado a pauladas e abandonado à própria sorte em Três Lagoas
Interior
Homem é espancado a pauladas e abandonado à própria sorte em Três Lagoas