Menu
Busca quarta, 27 de maio de 2020
camara municipal
Economia

'Acho que o Plano Mansueto não é ruim', diz Azambuja sobre empréstimo da União

Governador reforçou que plano impõe limitações aos Estados

18 junho 2019 - 17h12Por Nathalia Pelzl

Questionado sobre a adesão de Mato Grosso do Sul ao Programa de Equilíbrio Fiscal feito pela União, mais conhecido como Plano Mansueto, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) disse na tarde desta terça-feira (18), que o plano não é de ‘ruim’, mas impõe algumas condições a ser estudada pelos Estados.

Azambuja destacou que teve uma reunião hoje sobre o texto principal, sendo que agora ele será enviado para uma comissão especial na Câmara.

“Agora ele vai pra Câmara, no qual o presidente vai ser o Fábio Trad, nosso deputado aqui. Ontem falei com o Maia e ele disse que vai escolher um relator sintonizado com os Estados brasileiros”.

O governador ressaltou que a proposta é muito parecida com a da Previdência, sendo que com a alteração do texto houve uma flexibilização.

“Foi encaminhado um texto, foi feita uma alteração no Congresso que flexibilizou alguns segmentos, acho que o plano Mansueto não é ruim, mas ele impõe uma série de condicionantes para os Estados”, pontuou.

O governador finalizou dizendo que o Estado ainda não tem uma posição final sobre o assunto e, que irá aguardar a aprovação do legislativo.

“Vamos esperar texto final, pra ver o que sai aprovado pelo Legislativo e ai nós vamos fazer a opção de adesão ou não, até porque você só vai aderir algo quando estiver sancionado pelo presidente da república, por enquanto discutimos hipótese”.

O plano

O Programa de Equilíbrio Fiscal (PEF) recebeu do governo o apelido de Plano Mansueto (em referência ao secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida).  Ele prevê a concessão de empréstimos com garantia da União (nos quais o Tesouro cobre eventuais calotes) no valor R$ 13 bilhões por ano.

Os empréstimos serão concedidos por bancos públicos, privados ou organizações internacionais como o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

O dinheiro do PEF deverá ser liberado de maneira gradual até 2022, uma parcela por ano até o fim do mandato dos atuais governadores. 

Leia Também

Servidor é preso por usar caminhonete da Funai para buscar maconha na fronteira
Polícia
Servidor é preso por usar caminhonete da Funai para buscar maconha na fronteira
Lewandowski nega recurso do Estadão para saber se exame de covid é mesmo de Bolsonaro
Geral
Lewandowski nega recurso do Estadão para saber se exame de covid é mesmo de Bolsonaro
Bolsonaro proíbe Mandetta de trabalhar por seis meses: 'Estou abismado'
Geral
Bolsonaro proíbe Mandetta de trabalhar por seis meses: 'Estou abismado'
Investigação diz que Witzel está no topo de estrutura que fraudou contratos no Rio
Geral
Investigação diz que Witzel está no topo de estrutura que fraudou contratos no Rio