Menu
domingo, 20 de setembro de 2020
Geral

'Campo de concentração', diz Luisa Mell ao resgatar 1,5 mil animais em canil

Ativista relatou que cães viviam presos em gaiolas e em meio à sujeira em local que não tinha autorização para funcionamento

15 fevereiro 2019 - 17h29Por Da redação / Portal R7

Luisa Mell realizou um novo resgate de animais em um canil clandestino em Piedade, interior de São Paulo, após a Polícia Militar Ambiental receber uma denúncia de maus tratos. A ativista e os policiais encontraram no local 1,5 mil cães vivendo em más condições, além instalações inadequadas e falta de higiene. 

Segundo relato de Luisa, os animais ficavam presos em gaiolas e conviviam juntos em espaços pequenos. A ativista alertou que, mesmo sem autorização de funcionamento, o canil era o maior fornecedor de cães para pet shops de São Paulo e do interior. 

— É um campo de concentração de cachorros. É linha de produção mesmo, animais de produção, sem direito a uma vida...

Ainda de acordo com Luisa, um dos denunciantes revelou que quando os filhotes nasciam com algum problema iam direto para o incinerador. Mas, segundo ela, o local também não tinha autorização para cremar os animais. 

Luisa declarou que este foi o maior resgate já feito pelo instituto que leva o nome dela — superando os 143 animais que ela salvou em 2018 — ou por qualquer outra ONG. A ativista alugou dois galpões para abrigar os cães e pediu ajuda com doações. Famosos como Lexa e Anitta reforçaram o pedido de Luisa com vídeos nas redes sociais.

Leia Também

Prefeito em MS ameaça dar tiro em bolsonaristas
Polícia
Prefeito em MS ameaça dar tiro em bolsonaristas
Chuva pode dar as caras já neste sábado e no domingo em Campo Grande
Cidade Morena
Chuva pode dar as caras já neste sábado e no domingo em Campo Grande
Brasil tem 739 mortes pela covid-19 em 24 horas, diz Ministério da Saúde
Geral
Brasil tem 739 mortes pela covid-19 em 24 horas, diz Ministério da Saúde
Saudade é tanta, que um ano após perder o filho, Thayelle ainda escuta Miguel chamar
Entrevistas
Saudade é tanta, que um ano após perder o filho, Thayelle ainda escuta Miguel chamar