TJMS JANEIRO
Menu
quinta, 20 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Geral

Recado para Bolsonaro? Papa Francisco pede mais vacinas e menos fuzis

Pontífice diz que é preciso extirpar o ódio dos corações das pessoas

07 outubro 2021 - 19h46Por Thiago de Souza

O Papa Francisco pediu, nesta quinta-feira (7), que lideranças políticas no mundo reduzam altos investimentos em armas e guerras e promovam a paz e ajuda humanitária a quem mais precisa. 

A fala do pontífice ocorreu no encontro inter-religioso pela Paz da Comunidade Sant’Egidio, no Coliseu, em Roma. 

Segundo a IstoÉ, o Papa convidou os diversos representantes que estavam na cerimônia para “ajudar a extirpar dos corações o ódio e condenar todas as formas de violência”.

“... eu os encorajo a isso: a depor as armas, a reduzir as despesas militares, a converter os instrumentos de morte em instrumentos de vida... Menos armas e mais comida, menos hipocrisia e mais transparência, mais vacinas distribuídas igualmente e menos fuzis vendidos imprudentemente”, disse aos participantes.

Francisco Bergoglio fez um apelo aos líderes religiosos e disse que ‘’em qualquer tradição’’, é preciso fugir da tentação fundamentalista e de qualquer insinuação que faz do irmão um inimigo”.

Fransciso lamentou que hoje em dia se assiste “a violência e a guerra, um irmão que mata um irmão quase como se fosse um jogo visto de longe, indiferentes e convictos de que isso nunca acontecerá conosco”.

Para os chefes de governo, o Pontífice lançou um apelo pedindo que a “vida dos povos não se reduza a um jogo entre potências”.

“A vida das pessoas não é uma brincadeira, é uma coisa séria e atinge a todos nós; não pode ser deixada à mercê dos interesses de poucos ou que seja tomada por paixões sectárias e nacionalistas. É a guerra que brinca com a vida humana. Com a vida dos povos e das crianças não se pode brincar, não se pode ser indiferente.

Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro é criticado pela oposição por fomentar a legalização e uso de armas de fogo, enquanto minimiza e questiona a importância das vacinas contra a covid-19.