(67) 99826-0686
PMCG - REFIS 01 a 30/07/2019

Aliado do PCC, 'Mata Rindo' é preso dentro de presídio em ação da Polícia Civil

Ele é apontado como executor de um traficante rival

5 ABR 2019
Thiago de Souza
19h51min
Foto: Agepen

Júlio Cesar dos Santos, 32 anos, conhecido como ‘Mata rindo’, foi preso pela Polícia Civil no âmbito da Operação Osíris 3, nesta sexta-feira (5), em Naviraí. Ele é aliado da facção criminosa PCC e teria assassinado um membro de quadrilha rival.

Santos foi preso por conta de um mandado de prisão conseguido pela polícia. Um comparsa dele, suspeito de participar da morte de Rafael Cicero dos Santos, de 28 anos, também foi preso, mas na primeira fase da operação.

Conforme o site Tá na mídia Naviraí, o mandado de prisão de ‘Mata rindo’ foi cumprido na manhã desta sexta, na Penitenciária de Segurança Máxima de Naviraí, onde ele está detido em razão de uma condenação por tráfico de drogas, também por crimes de latrocínio e roubos.

O objetivo da Operação Osíris é desmantelar célula do PCC responsável pela execução de tribunais do crime em Naviraí. Nesses julgamentos eles decidem o destino das vítimas, que pode resultar em morte como punição. As vítimas, geralmente pessoas ligadas ao crime, são sequestradas e torturadas antes da “sentença condenatória”.

Osíris 1

Na primeira fase da operação, três integrantes de uma facção criminosa foram presos no dia 6 de março deste ano, de sequestrar uma vítima, mantida em cárcere privado, que conseguiu escapar do cativeiro. Um quarto integrante está foragido.

Osíris 2

Na segunda fase, no dia 1º abril de 2019, policiais do SIG com apoio da Polícia Militar, tiveram conhecimento de um rapaz que teria sido sequestrado por integrantes do PCC e estaria sendo julgado por supostamente ter estuprado uma mulher. Os policiais conseguiram localizar e conseguiram resgatar o homem no momento em que ele era julgado pelo tribunal do crime. No momento em que os policiais chegaram ao local, ele estava sendo espancado por mais de cinco pessoas, que foram presas. O rapaz foi resgatado com diversas lesões.

Seis pessoas foram presas e três menores apreendidos. Foi apurado que o rapaz que estava sendo torturado pelos integrantes do PCC não tinha envolvimento com o estupro. Os envolvidos responderão por tortura qualificada pelo sequestro, organização criminosa e corrupção de menores. As penas somadas podem ultrapassar a vinte anos de reclusão.

Veja também