Menu
sábado, 25 de setembro de 2021 Campo Grande/MS
Polícia

Autor de assassinato de PM da reserva em MS conhecia rotina da vítima

"Cosme Vaqueiro" foi preso em flagrante pelo homicídio e teve a prisão preventiva decretada. Ele já havia sido preso por violência doméstica

26 julho 2021 - 17h50Por Vinicius Costa

Cosme Santos da Silva, de 23 anos e reconhecido como "Cosme Vaqueiro" foi o responsável direto pela morte do policial militar aposentado Jonas Rufino da Silva, de 54 anos. A vítima morreu após levar um tiro na nuca do rapaz que roubou a sua caminhonete em um sítio na região de Bataguassu, configurando o crime de latrocínio.

O autor parecia ter arquitetado todo o crime. Ele tinha todo o conhecimento do sítio em que o ocorreu a morte e morou por algum tempo no Assentamento, tanto que passou a conhecer muito bem a rotina da vítima.

Cosme contou com a ajuda de seu sobrinho, Claiton Silva Santos, de 22 anos para conseguir roubar a caminhonete que era dirigida por Jonas. De acordo com o site Jornal da Nova, os criminosos estiveram no sítio em um veículo Volskwagen Gol de cor vermelha e num primeiro momento, o policial aposentado reconheceu o autor e ao tentar reagir, levou o tiro na nuca.

Ao sair do sítio, testemunhas viram o carro e a caminhonete indo em direção a rodovia BR-267. Foi neste momento que a Polícia Civil de Bataguassu e de Nova Andradina passaram a investigar as causas da morte e realizar diligência para encontrar os autores do latrocínio.

No entanto, com o virar do dia, os dois suspeitos foram encontrados na cidade de Paranavaí, interior do estado do Paraná, onde a polícia sul-mato-grossense contou com a ajuda de equipes paranaenses para efetuar a prisão. A caminhonete foi abandonada em uma plantação de cana-de-açúcar.

Após serem descobertos, a dupla confessou que revenderia a caminhonete para levantar um dinheiro.

Cosme Vaqueiro já tinha passagens pela polícia após ser preso em agosto do ano passado, acusado de violência doméstica. O sobrinho, no entanto, estava de ficha limpa.

Já nesta segunda (26), ambos passaram por audiência de custódia e o Poder Judiciário de Bataguassu decretou prisão preventiva aos dois acusados do latrocínio e foram encaminhados para o Estabelecimento Penal.