Menu
quarta, 23 de setembro de 2020
Polícia

Caso Kauane: Polícia Civil diz que menina teria sido morta por prato de comida negado

Em depoimento, o suspeito disse à polícia que matou a criança por causa de um prato de comida

25 abril 2019 - 09h18Por Da redação/Folha Vitória

O morador de rua suspeito de assassinar a menina Kauane Christhiny Soares Rodrigues, de seis anos, em Mongaguá, no litoral de São Paulo, disse em depoimento à polícia que matou a criança por causa de um prato de comida.A informação foi revelada por Francisco Venceslau, delegado do 2° DP de Mongaguá.

"O suspeito informou que mais cedo (à morte), durante confraternização na casa da vítima, a família de Kauane teria lhe negado um prato de comida", contou em entrevista ao R7. Segundo Venceslau, a história contada pelo morador de rua "tem nexo" e "faz sentido".

"Vamos, agora, confrontar com provas tudo o que ele tem dito." — a família de Kauane, conta o delegado, nega "qualquer discussão". Com ajuda de cães farejadores, a polícia encontrou na noite de segunda-feira (22) o corpo da menina seminu com marcas de estrangulamento em uma vala, numa região de mata próxima à casa onde a criança morava com a mãe e o irmão.

Abuso sexual

Exames preliminares do IML (Instituto Médico Legal) indicaram lesões nas partes íntimas da menina Kauane. De acordo com a repórter Ingrid Griebel, da Record TV, os policiais já dizem, com base nesses laudos iniciais, que a criança sofreu abuso sexual. O delegado, por sua vez, informou que o suspeito nega ter estuprado a criança. Com informações do Portal R7.

Leia Também

Centro Cultural e Teatro Aracy Balabanian já possuem licitação em aberto para projeto de restauração
Cultura
Centro Cultural e Teatro Aracy Balabanian já possuem licitação em aberto para projeto de restauração
Após usar bar como ponto de drogas, mãe e filha acabam na cadeia
Polícia
Após usar bar como ponto de drogas, mãe e filha acabam na cadeia
Comissão do Pantanal confirma visita a Corumbá
Geral
Comissão do Pantanal confirma visita a Corumbá
Desemprego na pandemia tem alta de 27,6% em quatro meses, aponta IBGE
Geral
Desemprego na pandemia tem alta de 27,6% em quatro meses, aponta IBGE