Menu
sábado, 08 de maio de 2021
mais social 05 a09/05/2021
Polícia

Dica de delegada: spray de pimenta na bolsa é melhor arma contra estupradores

Diferente da arma de choque, a vantagem estaria na distância entre a vítima e o agressor

03 agosto 2019 - 07h00Por Maressa Mendonça

O que toda a mulher deveria carregar na bolsa? Para a delegada Joilce Silveira Ramos, titular da DEAM (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), a resposta certa seria um spray de pimenta como forma de evitar um possível estupro. Outras orientações dadas por ela incluem o compartilhamento das informações de motoristas de aplicativos ao pegar uma “carona paga” e a recusa em receber profissionais autônomos estando sozinha em casa. 

Dados da Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul) apontam que, no ano passado, foram registrados 603 casos de estupro só em Campo Grande e outros 1253 nas cidades do interior do Estado.  Do início do ano até agora, foram outros 284 casos na Capital. 

A Polícia Civil costuma divulgar dicas de segurança para evitar determinados crimes. As mais recentes estão relacionadas ao estupro e foram divulgadas pela delegada Joice. 

Segundo ela, as mulheres devem evitar ficar em locais afastados e pegar atalhos  para encurtar distâncias. “O autor do estupro geralmente não quer matar. Ele quer o ato sexual. Então grite o mais alto possível porque, se alguém estiver passando ouvir o barulho e se aproximar, esse agressor vai abandonar o ato”, pontuou. 

Outras dicas da delegada têm relação com prestadores de serviços.  Em se tratando de motoristas de aplicativo, o ideal é compartilhar a localização com algum amigo ou parente para que eles saibam o destino. Profissionais autônomos que prestam serviços nas residências não devem ser atendidos se a mulher estiver sozinha. Quando não é possível ter companhia na casa, a orientação é chamar apenas os trabalhadores já conhecidos. 

Mas segundo a delegada, a dica “mais valiosa” é o spray de pimenta na bolsa. “Porque você não precisa se aproximar do agressor para utilizá-lo. Justamente por isso não é muito recomendado o choque, por que você precisa chegar até o agressor”, diz. 

A delegada informa ainda ser possível atingir os olhos do suspeito com distância de até um metro, garantindo um tempo para a fuga. Por fim, se não for possível evitar o crime, ela orienta a vítima a deixar algum pertence ou fio de cabelo no local ou no agressor para identificação posterior.