Menu
segunda, 01 de março de 2021
Polícia

Ex-funcionário arma assalto à marmitaria, depois ‘finge demência’ e entrega amigo

Dupla queria 'levantar um dinheiro' e homem escolheu ex-patrão como alvo

27 novembro 2020 - 10h44Por Diana Christie

João Paulo Aparecido de Souza Moreira, 29 anos, e Jonathan Claudio Pacheco Gonçalves, 27 anos, foram presos, nesta quinta-feira (26), suspeitos de assaltarem uma marmitaria na Avenida Manoel Joaquim de Moraes, Jardim Leblon, em Campo Grande.

À polícia, João disse que já passou por três presídios e atuava como funileiro, mas estava desempregado há muito tempo. Sem dinheiro, ele conta que foi à casa do amigo Jonathan para fumar maconha e os dois planejaram o roubo.

Segundo ele, Jonathan forneceu uma pistola 380 e a motocicleta da mãe, uma Titan branca, para o crime. Também indicou o restaurante, onde trabalhou cerca de quatro meses, e ficou como piloto de fuga para a ação.

João Paulo se fingiu de cliente e anunciou o assalto, apontando a arma para os funcionários. Com o crime, ele levou cinco celulares e cerca de R$ 500 em dinheiro, conforme relato das vítimas. O que ele não esperava é que um dos empresários conseguiria rastreá-lo através do celular.

Com as informações fornecidas pelas vítimas, a polícia encontrou a dupla em uma casa na Rua Inhapin, bairro Aero Rancho. Jonathan foi preso dentro da residência e João Paulo fugiu, pulando muros, mas foi capturado minutos depois.

Na delegacia, Jonathan disse que tinha recebido os celulares do amigo, sem nota fiscal, para vender. No entanto, ele alega que acreditava de tratar de pagamento de dívidas e que nada sabia do roubo. Ele também negou ter emprestado a arma e só confessou que já cumpriu pena por estupro.