TCE Novembro
Menu
terça, 30 de novembro de 2021 Campo Grande/MS
pmcg revia negocios
Polícia

Homem que matou vizinho diz que agiu para defender filho em roubo de narguilé

O suspeito foi preso na manhã desta quinta-feira

18 outubro 2018 - 16h07Por Nathalia Pelzl e Kerolyn Araújo

Foi preso na manhã desta quinta-feira (18), o autor do assassinato de Josinaldo João da Silva, de  40 anos.  A vítima morreu após levar uma facada no abdômen nesta madrugada. 

A Delegada Deborah Mazzola, da 3° Delegacia de Policia, informou que o suspeito, de 44 anos, confessou o crime e disse que foi em defesa do filho, um jovem de 21 anos que trabalha em uma tabacaria e estava voltando para casa com um narguilé nas mãos.O rapaz teria sido abordado pela vítima, que queria a roubar o item.

Em depoimento, ele afirmou que nem sabia que o homem tinha morrido, pois saiu andando do local. Ele ressaltou ainda que agiu para proteger o filho de ser roubado e machucado pela vitima.

O Caso

Josinaldo João da Silva foi encontrado morto com um golpe de faca no abdômen na manhã desta quinta-feira (18), na Rua Átomo, no bairro Maria Aparecida Pedrossian, em Campo Grande. Populares encontraram o homem sem sinais vitais e acionaram a polícia.

O delegado de plantão da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro, Enilton Zala afirma que, só nesta madrugada, atendeu quatro casos de morte. “Só nesse plantão, foram quatro homicídios. Sendo um na Avenida Coronel Antonino, onde um homem foi morto com quatro disparos. Por volta das 1h30 da manhã a morte do empresário em um bar. Em seguida, no Estrela do Sul por volta das 3 horas, outro homem foi baleado e morto com três tiros. E agora esse, um total de quatro mortos”.

Zala destaca que em quatro anos de profissão, nunca presenciou um plantão com tantas mortes e a polícia investiga a possibilidade de ligação entre os crimes. “Nesses quatro anos, eu nunca tive um plantão com tantas mortes. Vamos investigar todas as possibilidades, não descartamos a possibilidade de ter ligação, a princípio acreditamos que não tenha ligação”.