Menu
Busca terça, 12 de novembro de 2019
Polícia

Assassino de pai e filho diz que foi agredido: 'vieram bater na minha cara'

"Faltou pai e mãe darem uma atenção ali", disse o acusado

18 setembro 2019 - 10h15Por Redação/Dourados News

Rafael Ferreira Ponce, 29 anos, preso na tarde ontem (18), no distrito de Panambi, acusado pelo duplo assassinato de Miguel Vieira, 39 anos, e Bryan Gabriel Vaz Vieira, 17 anos, pai e filho, disse que cometeu os crimes devido ao fato de ter sido agredido pelos dois.

“Faltou pai e mãe darem uma atenção ali. Vieram bater na minha cara. Então eu não aceito essa situação”, disse o acusado quando foi conduzido pelos policiais do SIG (Serviços de Investigações Gerais) ao 1°Distrito Policial.

Rafael ainda deu detalhes da dinâmica do crime: afirmou que matou, a pauladas, primeiro o pai e depois o filho e em seguida queimou os corpos.

O acusado disse que Bryan teria puxado uma faca na tentativa de agredi-lo, o que “deu muita raiva” e motivou as ações. Outra alegação é que pai e filho “arregaçaram” a residência onde ele mora e ainda teriam o deixado com “olho roxo”. Questionado sobre arrependimento por ter cometido os assassinatos, ele diz: “vou pensar”.

De acordo com o delegado do SIG, Rodolfo Daltro, o jovem foi preso quando tentava buscar refúgio na casa de populares no distrito do Panambi. Inicialmente, ele relatou à polícia sobre agressões por parte das vítimas fatais. Ele foi interrogado na e preso em flagrante pelas mortes de pai e filho.