Menu
domingo, 25 de julho de 2021
PMCG REFIS 16 A 29/07
Polícia

Mulher que encomendou a morte do marido tem pedido de liberdade negado pela Justiça

Além de Valdirene, outras seis pessoas são suspeitas de envolvimento no crime

23 fevereiro 2019 - 14h16Por Dourados News

A Justiça de Mato Grosso do Sul, por meio da 3ª Vara Criminal de Dourados, negou o pedido de liberdade da douradense Valdirene Fiorentino da Silva. Ela é acusada de ser a mandante do atentado contra o próprio marido, o empresário José Pereira Barreto, no dia 13/02.

A defesa de Valdireni havia solicitado ao Tribunal do Júri a soltura da mulher para que ela pudesse responder ao processo de investigação em liberdade. O argumento utilizado pelos advogados é de que a vítima teria "se apresentado espontaneamente na Delegacia de Polícia e teria auxiliado na elucidação dos fatos com a identificação dos demais envolvidos, alegando que teria agido em legítima defesa indireta, decorrente do relacionamento abusivo que mantinha com a vítima a aproximadamente 17 anos".

Além disso, à Justiça foi ressaltado que a ré não possui antecedentes criminais e que esta seria mãe de três filhos menores de idades.

Para tanto, o juiz de direito Eguiliell Ricardo da Silva decidiu por não autorizar a saída de Valdirene por considerar a decisão um risco para a ordem pública e o prosseguimento das investigações do caso. Ela estava detida desde o dia do atentado em uma das celas do 1° Distrito Policial de Dourados e foi transferida na quarta-feira (20) para o presídio feminino de Jateí, distante 90km de Dourados,

"Assim, a manutenção da custódia cautelar da requerente é necessária para garantia da ordem pública em razão da gravidade concreta, tendo em vista que, em tese, a ré teria planejado a morte de seu marido, que somente não se consumou por circunstâncias alheias à sua vontade, e ainda, a tentativa de homicídio teria ocorrido em via pública, e em horário de intenso movimento, colocando em perigo a vida de outras pessoas que passavam pelo local Ademais, o crime supostamente praticado pela ré - tentativa de homicídio, gera sentimento de insegurança e descrédito perante a sociedade local, de sorte que a população cobra dos órgãos competentes respostas enérgicas e céleres, no sentido de se evitar a continuidade dessa espécie delitiva", considerou o juiz.

Além de Valdirene, outras seis pessoas são suspeitas de envolvimento no crime e já foram transferidos à PED (Penitenciária Estadual de Dourados).

São eles Pedro Jorge Braga Câncio Júnior, que seria suposto amante da mulher, Charles Barros de Lima Ribeiro, 21, e João Alves Cardoso, 26, apontados como contratados para matar o homem, Paulo Vitor dos Santos, 32, David Jonathan dos Santos, 29, e Leandro Alves Gonçalves, 32, responsáveis por repassar o dinheiro à dupla.