Menu
Busca segunda, 16 de dezembro de 2019
Polícia

Revoltante: cavalo doente é abandonado pelo dono e tem de ser sacrificado

Polícia Civil vai investigar o caso; prefeitura de Anastácio aposta em lei mais rígida

08 abril 2019 - 15h55Por Thiago de Souza

A Polícia Civil vai investigar o abandono de um cavalo doente, em Anastácio, a 145 quilômetros de Campo Grande. O animal foi deixado à própria sorte e, sem chances de recuperação, foi sacrificado por profissionais do Centro de Controle de Zoonozes da cidade.

Conforme a Prefeitura de Anastácio, o flagrante de maus-tratos contra o equino ocorreu na noite de sexta-feira (5). Moradores perceberam o crime e acionaram a Polícia Militar, que por sua vez acionou o CCZ local.

Ainda de acordo com a prefeitura, mesmo fora do horário de trabalho, veterinários que atuam no órgão foram até o local e examinaram o cavalo, que já estava agonizando. Ficou decidido que era preciso promover a eutanásia.

Na rede social, internautas se emocionaram e lamentaram a atitude do proprietário do animal. Um deles escreveu:

''Quanta crueldade, meu Deus...abandonar um ser que com certeza foi muito útil a ele...um ser desse não pode ser chamado de humano''. Outra usuária da rede disse: ''Espero que esse infeliz pague pelo que fez! Quando tava servindo pra ele tava bom, até não servir mais. Esse é o fim do pobre animal!! Revoltante!!

De acordo com publicação da prefeitura no Facebook, o crime de maus-tratos a animais está na Lei de Crimes Ambientais (9.605 de 1998) e prevê punição de três meses a um ano de detenção, além de multa.

A postagem destaca também que o projeto de lei 1095/19 altera a lei vigente e aumenta a punição para esse tipo de crime, que passa para um ano e quatro meses de reclusão, inicialmente em regime fechado e multa.