TJMS AGOSTO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
sexta, 12 de agosto de 2022 Campo Grande/MS
Dengue agosto
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
Polícia

Suspeito de matar ex-namorada com facada no peito se entrega à polícia

O suspeito deve responder por feminícidio e, caso seja condenado, pode pegar de 12 a 30 anos de prisão

22 maio 2019 - 14h15Por Da redação/Massa News

O homem suspeito de assassinar a ex-namorada com uma facada no peito, no dia 4 de maio, na localidade rural do Rio Sagrado, em Morretes, Paraná, se entregou à polícia nesta terça-feira (21) e confessou o crime. Em depoimento, o homem disse que se desentendeu com Ana Paula Rocha Pompeu, 36, após ela não aparecer a um jantar no dia anterior. José de Souza Filho, de 50 anos, estava escondido em meio a um matagal, na zona rural da cidade, desde o dia do crime. Porém, ao saber que a polícia e a população estavam próximo de encontra-lo, o homem decidiu procurar um advogado e se apresentar na delegacia.

“Segundo ele, já não estava mais com estrutura para ficar escondido no mato, sabendo que nós e populares estávamos no encalço dele, aí procurou o advogado, que negociou a apresentação conosco, pois ele temia pela integridade física”, disse o delegado Antônio Cesar dos Santos, responsável pelo caso. Durante o interrogatório, o suspeito, que é ex-namorado de Ana Paula, disse que tinha combinado de jantar com a vítima na sexta-feira antes do crime, mas que ela não apareceu.

“Fui perguntar o que aconteceu, aí ela veio para cima de mim brava porque eu estava com uma latinha de cerveja. Já tinha tomado umas cinco, seis latas antes”, relatou à polícia. De acordo com o homem, a vítima deu um tapa na lata de cerveja e o empurrou. “Ela foi para cima de mim e eu perdi a cabeça”, disse. Neste momento, José sacou uma faca que estava na cintura e atingiu o peito da vítima, que morreu durante o atendimento médico no Hospital Municipal. Agora, o delegado aguarda o resultado dos laudos do Instituto Médico Legal (IML) com a confirmação da causa da morte. O homem deve responder por feminícidio e, caso seja condenado, pode pegar de 12 a 30 anos de prisão.