Menu
Busca terça, 07 de julho de 2020
MS DIGITAL - COMPET
EXCLUSIVO

Suspeito de matar pedreiro é capataz de fazenda e está desaparecido

Os tiros foram dados após discussão com o encarregado da propriedade rural

12 novembro 2019 - 19h16Por Thiago de Souza e Willian Leite

Suspeito de assassinar o pedreiro Cleiton José Cardoso, 38 anos, foi identificado como Élcio, que seria o capataz da fazenda onde a vítima foi contratada para atuar como pedreiro. O crime ocorreu na tarde desta terça-feira (12), perto da rodovia MS-040, em Campo Grande.

Conforme a esposa da vítima, o marido e o suspeito tiveram um discussão na Fazenda Soberano, momento em que Elcio foi até a casa dele, pegou uma arma e atirou contra Cleiton. Foi ela que divulgou a foto do capataz.  

A esposa de Cleiton conta que a mulher do suspeito teria visto o marido entrar em casa e pegar a arma e não teria feito nada para impedi-lo.

O suspeito fugiu do local e não foi mais visto. O Batalhão de Choque passou a procurar o suspeito na região, mas até o fechamento desta matéria não havia notícia de prisão.

Ocorrência

Após o crime, a vítima foi trazida por populares em uma caminhonete, que, no quilômetro 10 da rodovia, encontrou com viaturas do Corpo de Bombeiros e do Samu. Nesse momento, os socorristas tentaram reanimação com massagem cardíaca e também uma drenagem do pulmão, que tinha cerca de dois litros de sangue, conforme uma médica do Samu.

Enquanto a vítima recebia atendimento, mãe, filho e esposa de Cardoso chegaram ao local e ficaram desesperados ao receberem a notícia da morte. Os três choraram em cima do corpo de Cleiton.

 

 

Leia Também

Comerciante de 45 anos morre de covid em Dourados
Interior
Comerciante de 45 anos morre de covid em Dourados
Na Lata: em 2015 Bolsonaro desejava morte de Dilma, já hoje...
Na Lata
Na Lata: em 2015 Bolsonaro desejava morte de Dilma, já hoje...
Com covid, avó de Michelle Bolsonaro segue em estado grave no DF
Geral
Com covid, avó de Michelle Bolsonaro segue em estado grave no DF
PT é bloqueado no WhatsApp por suspeita de disparos em massa
Geral
PT é bloqueado no WhatsApp por suspeita de disparos em massa