Menu
sábado, 24 de julho de 2021
PMCG REFIS 16 A 29/07
Polícia

Trabalhador rural que matou mulher em MS não aceitava fim de relacionamento

Polícia descreveu que Getúlio tinha um ciúme da vítima e relacionamento era inicial e durava há três meses

21 junho 2021 - 20h11Por Vinicius Costa

O trabalhador rural Getúlio Aguero, de 59 anos, deu fim a vida de Lindinalva Benites Gomes, na madrugada desta segunda-feira (21), após não aceitar o fim do relacionamento 'fora do comum' que tinham há três meses. As primeiras investigações apontam que a Polícia Civil acredita tudo começou em um desentendimento entre o casal.

O delegado José Ricardo, titular da Delegacia de Polícia de Glória de Dourados, explicou que Getúlio era casado com outra mulher, mas que residia em Jateí e ficava nas consideradas idas e vindas para a cidade.

Contudo, a vítima não estava satisfeita com a maneira que ele conduzia o relacionamento e preferiu terminar o romance com a justificava de que não estava dando certo. O homem, por ser meio possessivo, não aceitava esse término.

"Não queria dar fim, tomou a atitude [de matar a mulher a facadas] e cometeu suicídio", declarou José Ricardo. O delegado fez questão de salientar que todas as informações são preliminares e ainda estão em curso de investigação para maiores detalhes.

Lindinalva Benites foi assassinada a facadas pelo marido na madrugada. O marido após cometer o crime cometeu o suicídio. Quem encontrou os corpos foi o irmão da vítima que ouviu os gritos de socorro de uma das filhas de Lindinalva.

De acordo com a Polícia Civil, a menina gritava pedindo ao padrasto para não matar a mãe. O irmão de Lindinalva olhou pela janela e viu Getúlio no chão, com marcas de sangue. Ele foi até o local e encontrou a irmã morta, com perfurações no pescoço e nas mãos.

A polícia continua investigando o caso.