Menu
quarta, 23 de setembro de 2020
Polícia

VÍDEO: usados por quadrilhas, olheiros passam dia e noite no mato para monitorar polícia em rodovias

Suspeito preso confessa que leva cadeira e comida para passar longos períodos à beira da rodovia

02 maio 2019 - 09h28Por Thiago de Souza

Material obtido com exclusividade pelo TopMídiaNews mostra como é a ação dos chamados ''olheiros'' ou ''mateiros'', homens que aceitam passar dia e noite em meio ao matagal para monitorar a ação das polícias em rodovias de Mato Grosso do Sul. Um deles conta em detalhes como é feita a ação criminosa.

Esse tipo de ação criminosa ocorre com frequência nas estradas brasileiras, mas principalmente em Mato Grosso do Sul, que faz divisa com Paraguai e Bolívia. Embora os mateiros estejam na base da pirâmide criminosa, ajudam a sustentar uma estrutura que traz bilhões de reais de prejuízos para o país, seja ajudando no transporte armas e drogas e de produtos contrabandeados, como os cigarros do Paraguai.

Conforme mostra a gravação, o suspeito admite que estava com um celular e o jogou fora para escapar do flagrante. Assim que as forças policiais, principalmente a Polícia Rodoviária Federal, se movimentam, os olheiros informam os comparsas sobre cada passo dos agentes.

Na sequência, os batedores - carros que ficam próximos do veículo que leva o contrabando - são alertados. Por sua vez, avisam os motoristas por meio de rádios comunicadores, geralmente escondidos nos painéis dos carros.

O suspeito que aparece na gravação teria sido preso em uma ação policial, após tentar fugir do cerco. Ele confessa que recebe cerca de R$ 3,5 mil, em espécie, compra alimentos em grande quantidade e usa até um banquinho para passar longos períodos dentro do mato.

Contrabando

Quadrilhas de pequeno e médio porte promovem contrabando em rodovias em todo o país. No entanto, existem grupos criminosos que agem com extrema sofisticação e organização, até com características empresariais.

Um exemplo disso é o que foi descoberto na Operação Népsis, da PRF e da Polícia Federal, deflagrada em setembro de 2018. Conforme a PF, somente em 2017, uma grande quadrilha transportou 1,5 bilhão em mercadorias ilícitas. Grande parte desse material circulou pela fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai, até chegar aos grandes centros do país.

Leia Também

Motociclista ferido em acidente na Coophavilla morre na Santa Casa
Polícia
Motociclista ferido em acidente na Coophavilla morre na Santa Casa
Operação Focus vistoria propriedades para apurar incêndios criminosos no Pantanal
Interior
Operação Focus vistoria propriedades para apurar incêndios criminosos no Pantanal
Mulher é encontrada morta em banheiro de residência no Nova Campo Grande
Polícia
Mulher é encontrada morta em banheiro de residência no Nova Campo Grande
Clima 'geladinho' começa a deixar MS e temperaturas voltam a subir
Cidades
Clima 'geladinho' começa a deixar MS e temperaturas voltam a subir