TCE MAIO
TJMS MAIO
Menu
segunda, 23 de maio de 2022 Campo Grande/MS
CÂMARA MUNICIPAL MAIO 2/3 ANO
Política

Alvo de acusações, Odilon pede à PF abertura de inquérito para investigá-lo

Ex-assessor do juiz aposentado o apontou como ‘negociador de sentenças’ e outras graves irregularidades

30 agosto 2018 - 17h15Por Amanda Amaral

Candidato ao governo de Mato Grosso do Sul e juiz aposentado, Odilon de Oliveira afirmou que fez solicitação à Polícia Federal para que seus feitos durante o período de magistrado sejam investigados. O pedido vem após a divulgação na imprensa de acusações graves feitas por ex-assessor de Oliveira.

Em mensagem enviada a Polícia Federal, Odilon diz que está viajando e, “tão logo retorne, eu próprio irei requerer que a PF abra inquérito para investigar cada item, com a independência que sempre teve.” E justifica o pedido, “os supostos delitos de que me acusam teriam sido praticados no exercício do meu cargo de juiz federal, contra interesses da União. Logo, as investigações devem ser feitas pelo Polícia Federal”, conclui o candidato pedetista.

Entre as acusações, o ex-servidor Jedeão de Oliveira, que atuou ao lado do juiz aposentado por 22 anos e é acusado de desviar R$ 11 milhões da  3º Vara Federal, cita que o ‘patrão’ negociava sentenças. O agora candidato se defende e pede provas, dizendo se tratar de armação política, citando decisão do Ministério Público Federal (MPF), que rejeitou a delação de Jedeão.

“Depois de dois anos que o ex-servidor foi exonerado só agora, a dois dias do início do programa eleitoral no rádio e na televisão ele vem distribuir as informações à imprensa. A pedido ou a mando de quem?”, questionou.

O MPF teria orientado a defesa de Jedeão a procurar  a instituição caso o réu tivesse novos elementos a serem analisados. ''Mas até agora isso não ocorreu', diz nota enviada ao TopMídiaNews. Agora, o Ministério Público Federal analisa a viabilidade de abrir investigação sobre o caso envolvendo Odilon de Oliveira na época em que era titular da 3º Vara Federal.

Denúncias

Conforme documento registrado em cartório de Bauru (SP), Jedeão o acusa de inventar bens apreendidos e manipular autorização para fazer escutas ilegais na vara.

Jedeão disse que algumas ameaças ao juiz aposentado eram super dimensionadas, a fim de chamar a atenção da mídia e criar a figura de um super-herói. No entanto, garante que outras intimidações eram reais.

Outra grave acusação, conforme denúncia registrada por Jedeão, é de que Odilon vendia sentenças judiciais. No primeiro caso que registrou, ocorreu em uma operação para combater crimes contra o sistema financeiro. Várias casas de câmbio tiveram documentação e dinheiro apreendidos.

No entanto, uma delas era de um amigo do filho de Odilon, que pediu e teria conseguido restituir os valores ao amigo.

Odilon de Oliveira, em nota, rebateu todas as acusações e garante que Jedeão o acusa por ter sido exonerado da Justiça Federal, acusado de corrupção, e por questões eleitorais, já que é candidato ao governo do estado pelo PDT.

Ainda de acordo com nota, divulgada no site do PDT-MS, ''a palavra do juiz Odilon não será medida na mesma balança em que se medem as palavras de pessoas que têm contas a prestar à sociedade e são devedoras da lei''.