TCE Novembro
Menu
segunda, 29 de novembro de 2021 Campo Grande/MS
CAMARA - vacinaçao
Política

VÍDEO: Azambuja diz que foi denunciado por vingança de empresários da JBS

Candidato à reeleição, governador disse que ‘verdade vai prevalecer sobre a mentira’

26 setembro 2018 - 15h10Por Celso Bejarano
VÍDEO: Azambuja diz que foi denunciado por vingança de empresários da JBS

Em rodada de entrevistas com os candidatos ao governo de Mato Grosso do Sul, no TopMidiaNews,  Reinaldo Azambuja, candidato à reeleição pelo PSDB, disse que os donos do frigorífico JBS eram, antes de seu governo, "mal acostumados” e ganhavam “benefícios estranhos”. 

Ele negou qualquer participação no esquema investigado pela Polícia Federal por meio da Vostok, operação deflagrada dia 12 deste mês de setembro e que prendeu 14 pessoas.

De acordo com a PF, JBS pagava propina em troca de incentivos fiscais, trama que teria o envolvimento de representantes dos poderes estaduais.

Azambuja, que teve a casa vasculhada pela PF, que lá cumpriu mandado de busca, disse que ao assumir o governo, em 2015, a JBS pagava em torno de R$ 40 milhões anuais de impostos ao Estado. 

“Ano passado, em 2017, a empresa pagou R$ 199 milhões de impostos estaduais. Como pode alguém pagar propina e ainda mais impostos?”, questionou o governador, que negou ter recebido algum recurso por ofertar benefício à empresa.

“Prestamos conta e nada temos a temer. Entregamos documentos, o que fizemos até agora foi defender o Mato Grosso do Sul. A verdade prevalece sobre a mentira”, afirmou Azambuja, logo depois de dizer que a JBS, empresa que pagaria propina por incentivos fiscais, hoje em dia paga bem mais tributos que antes.

Azambuja disse ainda que os benefícios fiscais concedidos às empresas são iguais, nenhuma tem vantagem maior ou menor que a outra.

“Falaram do envolvimento de 1,8 mil políticos [em delação premiada dos diretores da JBS]. Eles [Joesley e Wesley Batista, donos da empresa] quiseram se livrar da pena. Hoje andam com tornozeleira eletrônica. Só falam e não têm provas. Isso é uma falácia”, afirmou Azambuja.

Assista a entrevista completa: