Menu
Busca domingo, 15 de dezembro de 2019
Política

Energisa diz que reclamações em Mato Grosso do Sul são impulsionadas por fake news

Diretor da concessionária alega que notícias falsas de Rondônia causaram a movimentação em MS

29 outubro 2019 - 15h16Por Rayani Santa Cruz

O diretor-presidente da Energisa, Marcelo Vinhas, soube da abertura de CPI da Energisa na Câmara, nesta terça-feira (29), e disse que o movimento da população, que disparou o número de reclamações em Mato Grosso do Sul, foi impulsionado por 'fake news'.

Durante coletiva de imprensa na Assembleia, Marcelo Vinhas disse que as notícias falsas começaram a ser disseminadas em Rondônia, onde o Legislativo também abriu CPI.

"Todo esse movimento está baseado numa fake news que surgiu no Estado de Rondônia, a partir de um processo intenso onde a Energisa conseguiu a concessão e a gestão anterior estava muito deficitária. Iniciamos um processo de combate ao furto de energia, que deu origem à disseminação das fake news naquele estado”.

Ele alega que não existe possibilidade de fraudes em medidores eletrônicos, pois eles não permitem abertura devido ao selo. Além disso, Vinhas citou que todo o material é aferido pelo Inmetro e o medidor não pode ser calibrado.

Questionado se milhares de reclamações de aumento em 40% na conta também são fake news, ele diz que sim. "Tecnicamente, qualquer engenheiro que conhece metrologia derruba essa tese".

Marcelo afirmou que está à disposição da Câmara e ainda não foi convidado a comparecer na Casa. "Estamos à disposição para levar a informação correta, que é importante para nosso cliente. Quando cria-se fake news, o consumidor é induzido ao erro e prejudicado".