Menu
sábado, 26 de setembro de 2020
Política

Depois de até ‘rebolar’ para defender Michel Temer, cargo de R$ 27 mil de Marun fica à deriva

Fidelidade ao ex-presidente garantiu-lhe emprego na Itaipu Binacional

22 março 2019 - 07h00Por Celso Bejarano, de Brasília

"Trata-se de mais um pusilânime [fraqueza moral, covarde, medroso, fraco, conforme o dicionário] caso de exibicionismo Judiciário", disse o ex-ministro Carlos Marun, acerca da prisão do ex-presidente Michel Temer, na manhã desta quinta-feira (21), no âmbito da Lava-Jato, em São Paulo.

Refrescando a ideia: Marun defendeu Temer com “unhas e dentes” e até com “reboladas”, em outubro de 2017, em Brasília.

À época, contra o ex-presidente foram ofertadas duas denúncias. O caso foi levado a CCJC (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania), colegiado que livrou a cara de Temer, sepultando a ideia da investigação.

Ainda no período, Marun cantou e dançou com música de fundo de Benito de Paula: “Tudo está no seu lugar, graças a Deus”.

Assim, Carlos Marun era tido pela imprensa nacional como uma espécie de pitbull de Temer.

O ex-presidente soube retribuir a gentileza política de Marun, tanto que no fim do mandato, em dezembro do ano passado, nomeou o ex-deputado de MS como conselheiro da Itaipu Binacional, atividade que rende ao ex-ministro algo em torno de R$ 27 mil mensais.

O emprego dado a Marun foi contestado à exaustão por próximos do presidente Jair Bolsonaro, que pensou em até demiti-lo. Por questões de normas da binacional, a nomeação de Temer não poderia ser desfeita e o ex-ministro permaneceu empregado.

Hoje, nos corredores do salão verde na Câmara dos Deputados, alguns parlamentares até brincaram ao comentar a prisão do ex-presidente: “e agora, será que o Marun cai?”. Certeza é que o cargo pode ser reavaliado pela equipe econômica de Jair Bolsonaro (PSL) a qualquer momento.

POR QUE A PRISÃO

Michel Temer foi preso por determinação da Justiça Federal do Rio de Janeiro. Ele é suspeito de ter catado dinheiro de propina da construtora Engevix, e em troca beneficiado a empresa que tocava obras na usina nuclear de Angra 3, no Rio.

Leia Também

Brasil registra 869 novas mortes nas últimas 24 horas
CORONAVÍRUS
Brasil registra 869 novas mortes nas últimas 24 horas
Primeiro castramóvel chega em janeiro e vai atender bairros mais vulneráveis em Campo Grande
Cidade Morena
Primeiro castramóvel chega em janeiro e vai atender bairros mais vulneráveis em Campo Grande
Em dois anos, MS ganha 54 mil eleitores e mulheres definem eleição
Cidade Morena
Em dois anos, MS ganha 54 mil eleitores e mulheres definem eleição
Bebê com atrofia muscular morre após campanha para importar remédio de cerca de R$ 11 milhões
Geral
Bebê com atrofia muscular morre após campanha para importar remédio de cerca de R$ 11 milhões