(67) 99826-0686
REFIS FEV.

Em debate, Bernal ameaça, Marquinhos desvia de Puccinelli e Rose responde sobre saúde

Evento é promovido pelo SBT MS e transmitito ao vivo pelo TopMidiaNews

27 SET 2016
Thiago de Souza
22h31min
Foto: André de Abreu

No primeiro bloco do debate do SBT MS, transmitido ao vivo pelo TopMídiaNews, o candidato Alcides Bernal (PP) foi o primeiro a responder as perguntas e atribuiu o caos na cidade a um suposto roubo de R$ 1 bilhão dos cofres públicos. Marquinhos Trad (PSD) se esquivou da pergunta de Marcelo Bluma sobre o ex-governador André Puccinelli (PMDB) e a candidata Rose Modesto focou seu discurso em investimentos na saúde básica da Capital.

Os 15 candidatos à prefeitura de Campo Grande se encontraram no Teatro do Sesc Horto para o debate de ideias, que começou às 21h45. Na primeira etapa houve perguntas de tema livre  e os candidatos foram definidos por sorteio.  

Alcides Bernal (PP) foi o primeiro candidato  a responder a pergunta de Elizeu Amarilha (PSDC). O pepista disse que o problema de Campo Grande são os gastos enormes, gerado pelo que ele chamou de ''Bandidos da Coffee break'', que, segundo ele, tiraram R$ 1 bilhão de reais da cidade. E disse que a polícia, o Ministério Público Estadual e a Justiça estão 'prendendo esses bandidos'. Com tom misterioso, prometeu, logo de cara, que o debate iria ter 'muitas surpresas'. 

Marquinhos Trad (PSD) respondeu a Marcelo Bluma (PV), que questionou o por quê ele votou contra a autorização para o STJ (Superior Tribunal de Justiça) investigar o ex-governador André Puccinelli (PMDB). Trad desconversou dizendo apenas que suas preocupações são as 'pessoas pobres que acordam cedo e vão trabalhar, pegam ônibus lotado e sofrem'. Na réplica o candidato pelo Partido Verde insistiu na pergunta e Trad disse apenas que quem cassa o chefe do executivo são os dois terços da Assembleia Legislativa. 

Rose Modesto (PSDB) disse ao candidato Coronel David (PSC), que perguntou sobre o caos na Saúde de Campo Grande, que vai investir na atenção básica e não vai terceirizar o setor, como prometem os adversários. Criticou a 'velha politica' e aposta na valorização dos profissionais da saúde para proporcionar um bom atendimento. Também falou que vai fazer funcionar aquilo que já existe, se referindo às unidades básicas de saúde. 

 

 

Veja também