Menu
domingo, 13 de junho de 2021
Política

Em debate, Bernal ameaça, Marquinhos desvia de Puccinelli e Rose responde sobre saúde

Evento é promovido pelo SBT MS e transmitito ao vivo pelo TopMidiaNews

27 setembro 2016 - 22h31Por Thiago de Souza

No primeiro bloco do debate do SBT MS, transmitido ao vivo pelo TopMídiaNews, o candidato Alcides Bernal (PP) foi o primeiro a responder as perguntas e atribuiu o caos na cidade a um suposto roubo de R$ 1 bilhão dos cofres públicos. Marquinhos Trad (PSD) se esquivou da pergunta de Marcelo Bluma sobre o ex-governador André Puccinelli (PMDB) e a candidata Rose Modesto focou seu discurso em investimentos na saúde básica da Capital.

Os 15 candidatos à prefeitura de Campo Grande se encontraram no Teatro do Sesc Horto para o debate de ideias, que começou às 21h45. Na primeira etapa houve perguntas de tema livre  e os candidatos foram definidos por sorteio.  

Alcides Bernal (PP) foi o primeiro candidato  a responder a pergunta de Elizeu Amarilha (PSDC). O pepista disse que o problema de Campo Grande são os gastos enormes, gerado pelo que ele chamou de ''Bandidos da Coffee break'', que, segundo ele, tiraram R$ 1 bilhão de reais da cidade. E disse que a polícia, o Ministério Público Estadual e a Justiça estão 'prendendo esses bandidos'. Com tom misterioso, prometeu, logo de cara, que o debate iria ter 'muitas surpresas'. 

Marquinhos Trad (PSD) respondeu a Marcelo Bluma (PV), que questionou o por quê ele votou contra a autorização para o STJ (Superior Tribunal de Justiça) investigar o ex-governador André Puccinelli (PMDB). Trad desconversou dizendo apenas que suas preocupações são as 'pessoas pobres que acordam cedo e vão trabalhar, pegam ônibus lotado e sofrem'. Na réplica o candidato pelo Partido Verde insistiu na pergunta e Trad disse apenas que quem cassa o chefe do executivo são os dois terços da Assembleia Legislativa. 

Rose Modesto (PSDB) disse ao candidato Coronel David (PSC), que perguntou sobre o caos na Saúde de Campo Grande, que vai investir na atenção básica e não vai terceirizar o setor, como prometem os adversários. Criticou a 'velha politica' e aposta na valorização dos profissionais da saúde para proporcionar um bom atendimento. Também falou que vai fazer funcionar aquilo que já existe, se referindo às unidades básicas de saúde.