ALMS - RAMAL
Menu
Busca segunda, 13 de julho de 2020
ALMS
Política

Enquete: maioria dos leitores desconfia dos vazamentos do Intercept

Os vazamentos sugerem que Sérgio Moro cedeu informação privilegiada à acusação da Operação Lava Jato

08 julho 2019 - 09h58Por Luis Abraham

Recentemente o noticiário político no Brasil foi tomado pelo suposto vazamento de mensagens entre membros da Operação Lava Jato e o juiz Sérgio Moro, hoje ministro da Justiça, e o consequente desdobramento jurídico de que haveria um favorecimento da acusação em prejuízo da defesa dos réus envolvidos.

A enquete da semana do TopMídiaNews quer saber: você acredita que as mensagens de Sérgio Moro publicadas pelo The Intercept são verdadeiras? Cerca de 60% dos leitores não acreditam na veracidade dos vazamentos divulgados pelo The Intercept, já 40% dos votantes confiam plenamente no teor do conteúdo divulgado pela publicação on-line. A enquete ficou uma semana no ar e representa a opinião dos leitores.

Vazamentos colocam a Lava Jato na berlinda

Em junho de 2019, a publicação on-line The Intercept publicou uma matéria, tendo como base uma fonte anônima, de conversas no aplicativo Telegram entre o ex-juiz Sérgio Moro e o promotor Deltan Dallagnol no âmbito da Operação Lava Jato com evidências de "discussões internas e atitudes altamente controversas, politizadas e legalmente duvidosas da força-tarefa da Lava Jato".

Os vazamentos sugerem que Moro cedeu informação privilegiada à acusação, auxiliando o Ministério Público a construir casos, orientando a promotoria.

De acordo com juristas, a prática é vedada pelo código de ética da magistratura e a Constituição brasileira, por desrespeitar os princípios da imparcialidade, independência e equidistância entre defesa e acusação. Tais transcrições demonstram que a promotoria teria receio da fragilidade das acusações feitas contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e que buscou combinar previamente elementos do caso.

O império contra-ataca

O Ministério Público Federal confirmou o vazamento de mensagens de procuradores, mas alega que o conteúdo divulgado não deixa evidente ilegalidade alguma. Em nota, Moro classificou as conversas como "supostas mensagens" e que as conversas foram "retiradas de contexto", além de afirmar que "não se vislumbra qualquer anormalidade ou direcionamento da atuação enquanto magistrado".

Leia Também

Rosemir baleou criança de quatro anos na cabeça ao abrir fogo para matar ex-mulher
Polícia
Rosemir baleou criança de quatro anos na cabeça ao abrir fogo para matar ex-mulher
Brasil chega a 72,1 mil mortes por covid-19 e 1,86 milhão de casos
Saúde
Brasil chega a 72,1 mil mortes por covid-19 e 1,86 milhão de casos
Rosemir matou esposa foi por não aceitar fim do relacionamento
Polícia
Rosemir matou esposa foi por não aceitar fim do relacionamento
Homem mata a esposa, atira nos filhos e se mata em igreja de Dourados
Polícia
Homem mata a esposa, atira nos filhos e se mata em igreja de Dourados