TCE Novembro
TJMS DEZEMBRO
Menu
sexta, 03 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
CONSTRUINDO O SABER 29/11 A 29/12
Política

'Escolha pelo Mandetta é extremamente positiva', diz Reinaldo sobre nomeação de novo Ministro

Nomeação do ex-secretário de saúde de Campo Grande para o Ministério da Saúde já anima políticos de Mato Grosso do Sul

20 novembro 2018 - 16h28Por Kerolyn Araújo e Amanda Amaral

O presidente eleitor Jair Bolsonaro (PSL) anunciou, na tarde desta terça-feira (20), o sul-mato-grossense Luiz Henrique Mandetta (DEM) para o Ministério da Saúde. A nomeação do ex-secretário de saúde de Campo Grande já anima políticos de Mato Grosso do Sul.

Segundo o deputado estadual Paulo Corrêa (PSDB), a escolha de Mandetta como novo ministro da saúde é um sinal positivo para Mato Grosso do Sul. ''Não é bom, é ótimo. Ele conhece como poucas pessoas o Estado e tem muita capacidade. É uma pessoa que sabe bastante desse âmbito e é amigo de Bolsonaro. Junto de Tereza Cristina é um orgulho para nós sul-mato-grossenses", defendeu. 

Para o governador reeleito Reinaldo Azambuja (PSDB), apesar de ser sul-mato-grossense, Mandetta não deverá 'puxar sardinha' para o Estado. ''A escolha por Mandetta é extremamente positiva. Mas acredito que a nomeação do Mandetta será positivo não só para MS, mas de um modo geral. Ele não é ministro só de Mato Grosso Sul, mas de todos os estados. O diferencial é que ele conhece os gargalos daqui e isso nos deixa mais feliz e confiante para o ano que vem", disse Azambuja.

Com o ministro responsável por articular verbas federais para o Estado, Reinaldo pretende conseguir fundos para terminar obras paradas, como é o caso do Hospital do Trauma, e dar prosseguimento à Caravana da Saúde. 

O prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD) também celebrou a escolha. "Bom pro país. O presidente Bolsonaro tem acertado nas escolhas, é excelente. Filho da casa, reconhecido nacionalmente", avaliou. 

Adicionou que a confiança para destravar verbas para a saúde municipal pode ter mais fluidez, podendo por exemplo acelerar a chegada de mais ambulâncias do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e Emergência) para a Capital. "É alguém que conhece especialmente a realidade de Campo Grande", disse.