Menu
domingo, 20 de setembro de 2020
Política

Com exemplo da filha de 5 anos, Nelsinho encara ministro e detona ensino domiciliar

O protesto ocorreu em audiência que contou com a presença do ministro da Educação, em Brasília

07 maio 2019 - 19h00Por Celso Bejarano, de Brasília

Na audiência promovida desde a manhã desta terça-feira (7), em Brasília, pela Comissão de Educação no Senado, com a participação do ministro Abrahan Weintraub (Educação), o senador sul-mato-grossense Nelsinho Trad (PSD) protestou contra o projeto do governo de Jair Bolsonaro (PSL) que prevê a regulamentação do ensino domiciliar.

Nelsinho disse ter ido domingo passado, à noite, em Campo Grande, na igreja e lá viu uma cena que disse ter ficado “impressionado”. Depois, ele revelou que a filha de cinco anos que o acompanhava fez uma “festa” ao se encontrar com uma coleguinha da mesma idade, também na missa.

O senador afirmou ainda que o alegre encontro das crianças jamais poderia ser possível se adotado o ensino domiciliar no país. Ele deixou claro ser contrário à proposta que, para virar lei, deve, ainda, ser examinada e aprovada pela Câmara Federal e o Senado.

O projeto em questão dá aos pais a missão de educar e ensinar os filhos, em casa. Isto é, os pais ou, então, os tutores devem ser os responsáveis pela aprendizagem das crianças. Há a possibilidade de os pais contratarem professores particulares.

Reportagem publicada aqui no TopMídiaNews revela que a maioria da bancada de MS [8 deputados federais e 3 senadores] reprova a ideia do governo atual.

INVESTIMENTOS

Nelsinho Trad recordou também que no período que foi prefeito de Campo Grande [2005-2012] recebeu o aval do governo para a construção de 19 Ceinfs (Centros de Educação Infantis), mas não conseguiu concluir todas as obras.

“Onze ficaram prontas, oito ficou para o antecessor, que não deu importância às obras”, afirmou o senador.

Nelsinho pediu ao ministro que a atual gestão crie “mecanismos para que os Ceinfs sejam concluídos”.

AUDIÊNCIA

O ministro Weintraub foi à audiência contar sobre as principais propostas de sua gestão. Ele disse que a prioridade, agora, será a educação básica. Logo no início da reunião, o ministro foi questionado sobre os recentes cortes de recursos que deveriam ser destinados às universidades.

Weintraub, embora contestado por senadores, afirmou que não haverá corte no orçamento e, sim, o que chamou de ‘contingenciamento’.

O ministro afirmou também que, se aprovado o projeto da reforma da Previdência, os recursos voltam a ser liberados.

COMIDA

A audiência com o ministro começou por volta das 11h (horário de Brasília)  e a conversa durou até às 15h46 minutos. Por ser diabético, Weintraub levou comida e isso chamou a atenção dos senadores que o questionavam. É que onde estavam não é autorizado levar alimentos. O senador, então, ofereceu o que comia aos senadores, mas ninguém levantou-se para pegar.

 

Leia Também

Infectados com covid-19 que saírem de casa vã pagar até R$ 70 mil de multa
Geral
Infectados com covid-19 que saírem de casa vã pagar até R$ 70 mil de multa
Após casal gay andar de mãos dadas, vizinho envia bilhete: “Local de família”
Polícia
Após casal gay andar de mãos dadas, vizinho envia bilhete: “Local de família”
STF discute situação do meio ambiente nesta segunda-feira
Geral
STF discute situação do meio ambiente nesta segunda-feira
Com situação precária, Funai usa dinheiro da covid pra comprar alimentos em MS
CORONAVÍRUS
Com situação precária, Funai usa dinheiro da covid pra comprar alimentos em MS