Menu
Busca segunda, 21 de outubro de 2019
Top Ms
Política

OAB/MS encabeça campanha por 'eleições limpas', mas silencia com prisão de Puccinelli

Mansour Karmouche, presidente da Ordem regional, diz que entidade 'não se envolve politicamente'

26 julho 2018 - 09h20Por Celso Bejarano

A OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil), regional de Mato Grosso do Sul, lançou, no início desta semana, em Campo Grande, uma de suas mais valorosas campanhas: a “Voto Certo é Voto Limpo”, vigorosa empreitada de combate ao aliciamento no período da eleição. No entanto, a entidade civil, integrada por milhares de advogados, presente em manifestações que construíram e constroem a história de MS, nada comentou sobre a Lama Asfáltica, a operação da Polícia Federal de combate a corrupção que pôs na cadeia, três dias antes, o ex-governador por duas gestões (2007-2014) André Puccinelli, pré-candidato ao governo pelo MDB.

Como presidente da OAB-MS, Mansour Elias Karmouche comentou assim a prisão de Puccinelli: “veja bem: não nos envolvemos politicamente, respeitamos a decisão da Justiça,  não conheço bem esse processo”.

Já como “cidadão Mansour”, ele se referiu ao episódio deste modo: “é um episódio lamentável, a gente verifica isso porque esperamos do gestor o comprometimento de conduta ilibada”.

Junto com Puccinelli foram presos dois advogados, o filho do ex-governador, André Júnior, e João Paulo Calves, que, no papel, é dono do Instituto Ícone, empresa de ensinos jurídicos criada, segundo a PF, para “gerenciar” dinheiro de propina.

Quanto a prisão dos dois advogados, a OAB-MS emitiu uma nota, que diz:

“A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS), acompanha a prisão dos Advogados André Puccinelli Júnior e João Paulo Calves, presos no dia 20 pela Polícia Federal na Operação Lama Asfáltica. A participação da OAB é obrigatória em razão do que dispõe a Lei 8.906/94.

O objetivo da Comissão de Defesa e Assistência das Prerrogativas acompanha a prisão para garantir a preservação do Estado Democrático de Direito, para que se respeite o sigilo profissional e as prerrogativas dos advogados.

A OAB/MS, também abriu processo ético-disciplinar para apurar a conduta dos advogados envolvidos, mesmo que a prisão não tenha sido por exercício profissional”.

CAMPANHA

A campanha “Voto Certo é Voto Limpo” foi lançada pela OAB-MS em parceria com o MPE (Ministério Público Estadual), TRE (Tribunal Regional Eleitoral) e MPF (Ministério Público Federal).

Na difusão da cruzada contra fraude nas eleições, na sede do TRE-MS, no Parque dos Poderes, Mansour fez seu manifesto:

“Essa união de esforços entre a OAB/MS e os órgãos de controle, principalmente para fiscalização do processo eleitoral, é de suma importância para a sociedade, inclusive de forma a orientar também o cidadão da importância desse momento para que ele não se corrompa de qualquer maneira porque ele está prejudicando toda a cidadania. Ele prejudica seu país, estado e município quando ele vende seu voto. É importante trazer essa reflexão para que amanhã ele não esteja reclamando da falta de saúde, saneamento básico, escola e segurança pública. Esse é o preço para quem vende o voto”.