TCE Novembro
TJMS DEZEMBRO
Menu
sexta, 03 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
ALMS - NOVEMBRO
Política

Pai do 'golpe' da Coffee Break visitou Puccinelli na cadeia junto com Odilon Jr

Empresário diz que também advoga para o emedebista, mas sem relação com o filho do candidato

16 outubro 2018 - 07h00Por Thiago de Souza

O empresário Luiz Pedro Guimarães, réu na justiça por associação criminosa e corrupção no escândalo conhecido como ''Coffe Break', estava junto do filho de Odilon de Oliveira, Odilon Jr, na visita a André Puccinelli, preso desde o dia 20 de julho deste ano.   

''Odilonzinho'' disse que visitou o ex-governador no Centro de Triagem Anísio Lima, no Jardim Noroeste, em Campo Grande, no início da semana passada. Segundo ele, o encontro foi na função de advogado do emedebista. Ele não quis revelar o teor do encontro, alegando sigilo entre cliente e advogado.  

No entanto, apoiadores e adversários veem  a visita como um pedido de bênção para André Puccinelli e compor coligação MDB/PDT para enfrentar Reinaldo Azambuja (PSDB) no segundo turno das eleições para o governo do estado.  

Puccinelli recebeu visita de Luiz Pedro. (Foto: Wesley Ortiz)

Conforme o jornal Correio do Estado, que revelou o encontro não divulgado nem oficialmente nem extraoficialmente pela campanha de Odilon de Oliveira, o empresário assinou a lista de visitação junto com o filho do candidato.

Luiz Pedro disse que é advogado de André Puccinelli e que sua visita não teve qualquer relação com o filho de Odilon. O teor de sua conversa também não foi revelado por sigilo profissional.

Ele diz que conhece o filho do candidato do PDT, por ser advogado, e apenas trocou cumprimento rápido com Odilonzinho na saleta de espera do presídio. Acrescentou não saber se o pedetista tratou de coligações entre MDB e PDT.

Coffee Break

Conforme o Ministério Público Estadual, 24 pessoas entre políticos e empreiteiros tramaram a deposição de Alcides Bernal (Progressistas). Para isso, ofereciam dinheiro e cargos a alguns vereadores para que estes votassem contra o então prefeito.

O empresário teve papel fundamental na cassação de Bernal, já que ele foi o autor do pedido de impeachment do progressista. A acusação era de que Bernal teria dado calote nas empresas que prestavam serviços à prefeitura de Campo Grande, em 2013.   

Interceptações telefônicas feitas pelo Grupo de Atuação e Combate ao Crime Organizado, com autorização da Justiça, mostraram empresários e políticos negociando compra de apoio. Em alguns casos, nas ligações, os réus usavam código para marcarem encontros e repassar dinheiro. Um deles era ''vamos tomar um cafézinho?'', nome que batizou a operação do MPE.

Sobre a acusação na Coffee Break, o empresário disse que somente pediu o impeachment de Bernal por achar que ele não era um gestor honesto e se diz inocente. Ele acrescentou que nenhuma das suas ligações telefônicas interceptadas são comprometedoras. 

Prefeito

Mesmo sendo um dos pivôs do maior escândalo da política municipal, Guimarães iria disputar a prefeitura em 2016. Ele chegou a ser filiado ao PROS, mesmo partido de Gilmar Olarte e da esposa, Andreia Olarte.

À época, Luiz Pedro alegou questões pessoais, falta de dinheiro e pressão polícia para desistir de ser prefeito da Capital.