TCE Abril 25 a 29/04
Solurbe - corrida do meio ambiente 18/04 a 08/05
(67) 99826-0686
ENTREGAS

Paulo Pedra confirma saída do PDT; PP será novo destino

Pedra desistiu de tentar dialogar com o presidente do atual partido

7 OUT 2016
Dany Nascimento
19h00min
Foto: Geovanni Gomes

Após viver momentos de 'queda de braço' dentro do PDT, Paulo Pedra confirmou ao TopMídiaNews que deixa a sigla para continuar sua trajetória política no Partido Progressista, ao lado do prefeito e presidente regional da sigla Alcides Bernal (PP). O chefe do Executivo, porém, perdeu as eleições de 2016 ao tentar se reeleger.

Pedra diz que não tem um prazo estipulado para pedir desfiliação ao PDT e destaca que pretende aguardar as eleições de segundo turno entre Marquinhos Trad (PSD) e Rose Modesto (PSDB) para começar a agir. "Eu vou esperar passar as eleições para segundo turno para entrar com pedido e deixar o PDT. A certeza que tenho é que no PDT eu não fico mais. Converso bastante com o prefeito Alcides Bernal e meu objetivo é continuar minha vida político no PP".

Para Paulo, o presidente regional do PDT, Dagoberto Nogueira 'afundou o partido ao perder membros importantes'. "O Dagoberto acabou com o PDT, ele afundou o partido. Ele faz as coisas como se o partido fosse dele. Ele conseguiu perder pessoas importantes como o deputado estadual Beto Pereira, Felipe Orro, ele veio para desagregar o partido. O doutor Loester, que foi eleito vereador pelo PMDB deixou o PDT depois de uma briga feia com o Dagoberto, o partido só perde com ele".

Ao tomar conhecimento de que Dagoberto alegou que Pedra caminhou ao lado de Bernal sem defender o PDT, Pedra rebate as críticas do presidente e destaca que foi traído na escolha de candidatos para concorrer as eleições.

"Quem toma decisões individuais é o Dagoberto, quando eu estava como secretário, era o PDT que era responsável pela Emha, quem toma decisões pensando em si mesmo é o Dagoberto. Ele alega que meu mandato foi cassado, mas eu poderia concorrer as eleições porque estou recorrendo da decisão. Se tivesse lançado minha candidatura, eu tinha levado e voltaria a ser vereador pelo partido", afirma o ex-secretário de Bernal.

Paulo Pedra teve o mandato de vereador cassado no ano passado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), por compra de voto e continua recorrendo da decisão.

 

 

Veja também