GOV AGEMS
Menu
quarta, 08 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
CONSTRUINDO O SABER 29/11 A 29/12
Política

Pedro Chaves diz que não foi notificado de expulsão do PRB após dar apoio a Reinaldo

Presidente da legenda em MS anunciou o desligamento via rede social

11 setembro 2018 - 17h27Por Thiago de Souza

O senador Pedro Chaves disse, na tarde desta terça-feira (11), que não recebeu nenhuma notificação acerca de sua expulsão do PRB em Mato Grosso do Sul. Publicação do presidente da legenda, Wilton Acosta, feita em rede social, anunciava o desligamento do político em razão de traição partidária, ao anunciar apoio a reeleição de Reinaldo Azambuja em evento na noite dessa segunda-feira (10), em Campo Grande.  

Conforme a assessoria de Chaves, as informações obtidas até agora vieram da imprensa. A equipe diz ainda que Pedro Chaves é vice-presidente da legenda em MS e mesmo nessa condição ainda não possui informações oficiais.

Sobre o motivo da contenda com Acosta - o apoio a Reinaldo - Chaves justificou que foi ao evento porque é senador da República pelo PRB e nacionalmente o partido fechou apoio ao PSDB de Geraldo Alckmin, que na noite de ontem foi representado pela vice, a senadora Ana Amélia (Progresistas).

''Como conhece o projeto de Reinaldo [Azambuja] para os próximos quatro anos, aproveitou de declarou apoio a Reinaldo'', informou a assessoria.

A briga

De acordo com Wilton Acosta, o partido iria se coligar com o PSDB de Reinaldo. No entanto, por imposição de Chaves, a legenda rumou em direção do PDT, de Odilon de Oliveira. Ao ver o senador desistir da candidatura e apoiar Azambuja, Acosta ficou revoltado com a reviravolta do parlamentar.

''[Pedro Chaves] não conseguiu sua candidatura porque é um homem sem ética. É de conhecimento de todos que a nossa aliança original era com o PSDB, e por causa dele, tivemos que nos reposicionar. Mas ele, buscando apenas os seus interesses pessoais, seus negócios, desistiu de sua candidatura. É um covarde!!! Por essa razão, se EXPULSO DO PRB. Não merece a nossa sigla”.

Pedro Chaves teria desistido da reeleição porque o PDT teria firmado um compromisso de lançar somente a candidatura dele. No entanto, apoiou Beto Figueiró (PODEMOS). No lugar de Chaves, colocou Gilmar da Cruz, do outro coligado, o PRB.