Menu
Busca sexta, 03 de julho de 2020
ALMS
Política

PITACO: Marun sugere prazo para resolução de racha entre governadores sobre Previdência

Ex-ministro diz que 'racha' entre políticos é obstáculo e defende que estados e municípios façam suas próprias reformas em até 6 meses

07 junho 2019 - 16h44Por Amanda Amaral

O ex-ministro chefe da Secretaria de Governo Carlos Marun (MDB/MS) opinou a respeito da discordância entre governadores sobre o trato com o Congresso sobre a inclusão na Reforma da Previdência. Para Marun, estados e municípios devem agilizar em até seis meses as próprias medidas, ou cair na regra geral válida para a União.

Conforme publicado em coluna Painel do jornal Folha de São Paulo, a tentativa de pressionar a Câmara a enquadrar estados e municípios na reforma da Previdência rachou o grupo que reúne os 27 governadores do país. Há divergências não só em relação à essência do projeto mas também ao estilo de atuação.

“Considerando minha experiência no assunto, mantenho o meu pensamento de que a Reforma da Previdência TEM que ser aprovada na Câmara Federal no primeiro semestre. [...] penso que a solução será a que foi por nós (Governo Temer) adotada diante da falta de compromisso de muitos governadores e deputados Estaduais diante da questão, ou seja, um prazo de 6 meses para que Estados e Municípios façam suas reformas. Em isto não acontecendo no prazo estipulado o que vale para a União ficaria valendo para os Governos Estaduais e Municipais. Não é o ideal, mas se este é um obstáculo, ele tem que ser removido”, opinou.

Ainda segundo a publicação da Folha, gestores do Nordeste têm dito que João Doria e Ibaneis Rocha, governadores de São Paulo e Distrito Federal, respectivamente, cometem erros “de principiante”. Há queixas em relação a ataques ao Congresso e avisos de que o ambiente “é de maratona, não de corrida de 100 metros”, em impasse que ficou explícito na quinta-feira (6), quando ao menos três versões de cartas assinadas por governadores foram divulgadas.

Carta

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), junto a mais 24 governadores, emitiu na mesma quinta-feira uma carta de apoio à manutenção dos estados, do Distrito Federal e dos municípios na atual proposta da Reforma da Previdência, como apurou o TopMídiaNews em Brasília. O manifesto surgiu em meio a boatos indicando que a reforma seria aprovada sem considerar os estados e municípios, que deveriam resolver a questão em suas respectivas regiões.

“Obrigar os Governos estaduais e distrital a aprovar mudanças imprescindíveis por meio de legislação própria, a fim de instituir regras já previstas no projeto de reforma que ora tramita no Congresso, não apenas representa atraso e obstáculo à efetivação de normas cada vez mais necessárias, mas também suscita preocupações acerca da falta de uniformidade no tocante aos critérios de Previdência a serem observados no território nacional”, diz trecho da carta. Os governadores vão discutir o assunto na terça-feira (11), na capital federal.

Leia Também

1.165 CELULARES: comboio com produtos avaliados em R$ 3 milhões cai nas mãos do DOF
Interior
1.165 CELULARES: comboio com produtos avaliados em R$ 3 milhões cai nas mãos do DOF
MORTES NÃO PARAM: Brasil perde 1.252 pessoas para a covid em 24 horas
Geral
MORTES NÃO PARAM: Brasil perde 1.252 pessoas para a covid em 24 horas
Após sumiço de Carla, jovem garante que foi perseguida por 'dupla do carro cinza'
Cidade Morena
Após sumiço de Carla, jovem garante que foi perseguida por 'dupla do carro cinza'
Mulher é espancada por três homens e tem blusa rasgada no Vida Nova
Polícia
Mulher é espancada por três homens e tem blusa rasgada no Vida Nova