TJMS
(67) 99826-0686

R$ 100 mil: Trutis oferece recompensa só pra chamar atenção, diz petista

Deputado do PSL prometeu prêmio de R$ 100 mil por informação de atentado contra Bolsonaro

12 SET 2019
Celso Bejarano, de Brasília
16h38min
Deputados Vander Loubet e Loester Trutis Foto: Wesley Ortiz

O deputado federal Vander Loubet, do PT de Mato Grosso do Sul, disse que a recompensa de R$ 100 mil ofertada pelo deputado federal, também de MS, Tio Trutis, do PSL, a quem der notícias que possam levantar a identidade do eventual mandante do atentado sofrido pelo presidente Jair Bolsonaro, ano passado, na campanha eleitoral, não passa de um “factoide”.

Ou seja, literalmente, para o petista: o parlamentar está tentando criar um fato ou notícia forjada com o intuito de atrair a atenção da opinião pública, como diz o significado de factóide.

“Ele [Trutis], eleito na onda do Bolsonaro, do partido de Bolsonaro, devia, sim, era defender aqui [plenário da Câmara dos Deputados] o governo dele, que está derretendo”, disse Loubet, ao TopMidiaNews.

Continuou o parlamentar: “esses factoides não colam mais, até porque a população está percebendo que é uma farsa esse governo”.

Para Vander, “a Polícia Federal, instituição reconhecida, com toda sua credibilidade, é quem deve investigar o caso”.

“Não é R$ 100 mil que vai modificar isso”, afirmou o parlamentar.

O CRIME

Bolsonaro levou uma facada na barriga numa manifestação política, em setembro do ano passado, em Juiz de Fora, Minas Gerais. Dois meses depois, ele virou presidente da República.

O agressor, Adélio Bispo, 41, foi preso em flagrante. Inquérito da PF não apontou mandante ou mandantes. Bispo, que teria problemas psíquicos, teria agido sozinho. Hoje, ele é mantido encarcerado no presídio federal, em Campo Grande.

A RECOMPENSA

O prêmio de R$ 100 mil – dinheiro que sairia do bolso do parlamentar e de um assessor de gabinete seu – foi anunciado pelo Twitter do parlamentar. Trutis prometeu tocar “pessoalmente” a campanha.

O deputado federal do PSL comentou a oferta no plenário da Câmara dos Deputados, na terça-feira (10), e a ideia foi apoiada por colegas de legenda. Tanto que um deputado federal do PSL do Rio Grande do Sul prometeu doar mais R$ 100 mil pelas informações que possam contribuir com a descoberta da eventual autoria do atentado contra o presidente.

O parlamentar de MS disse também que outros interessados em apoiar a campanha devam ampliar a ofertar para meio milhão de reais.

Depois da facada, o presidente Bolsonaro enfrentou quatro cirurgias.

Veja também