TCE Novembro
TJMS DEZEMBRO
Menu
sexta, 03 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
CAMARA - vacinaçao
Política

Seguidores de Bolsonaro prometem carreata gigante em Campo Grande

Evento preparado por grupo volunário acontece dia 30 nos altos da Avenida Afonso Pena

23 setembro 2018 - 13h30Por Celso Bejarano

O 'QG voluntários de Bolsonaro' prepara o que o já chama de a “maior carreata política” em Campo Grande. 

Dia 30 deste mês, próximo domingo, donos de ao menos mil veículos entre carros e motocicletas confirmaram que vão ao evento que começa a partir das 15h, nos altos da Avenida Afonso Pena. 

Conforme a programação, a carreata vai serguir pela Afonso Pena até a Rua Bahia, depois pela Mato Grosso até chegar ao ponto de onde partiu. O desejo do grupo seria passar a Afonso Pena de ponta a ponta, mas a legislação proibiu carreata no quadrilátero central da cidade.

Autoridades ligados ao trânsito confirmaram um esquema de segurança no trajeto da carretata. Conforme a líder do Movimento Pátria Livre, Juliana Gaioso Pontes, 45 anos, todo o evento é feito por voluntários e não conta com dinheiro público. Todo o material utilizado, como adesivos, por exemplo, é doado pelos admiradores do candidato e não tem nenhuma relação com partidos políticos.  

Pontes disse que no evento haverá queima de fogos, trio elétrico que vai tocar músicas pró-Bolsonaro e a presença de famílias em apoio ao presidenciável.

Outros eventos

Loester Souza, conhecido como Tio Trutis, candidato a deputado federal pelo PSL, organiza carreatas a favor de Bolsonaro pelo interior do estado.

“Daqui até o dia 30 carreatas vão tomar as ruas de dez municípios de MS, entre eles Dourados, Nova Alvorada, Costa Rica, Coxim e São Gabriel do Oeste”, disse Trutis, que assegurou que por onde passou a “onda Bolsonaro”, o “sucesso foi total”.

Ele afirmou ainda que todo o manifesto tem sido bancado pelos próprios participantes.

Tio Trutis disse que não fosse o atentado sofrido pelo capitão da reserva do Exército, deputado federal, Bolsonaro, dia 6 deste setembro, em Juiz de Fora (MG), o presidenciável teria vindo a Campo Grande no dia 14 passado.

Bolsonaro foi esfaqueado enquanto era carregado por seguidores. Adélio Bispo de Oliveira, 40, que atacou o candidato foi detido de imediato e hoje cumpre prisão em presídio federal, em Campo Grande. O presidenciável recupera-se em hospital de São Paulo.

Ainda segundo Tio Trutis, o PSL de MS negocia a vinda de um dos filhos de Bolsonaro a Campo Grande, antes de eleição, dia 7 de outubro.

Bolsonaro entrou na política em 1991 e, desde então, ocupou sete mandatos na Câmara Federal. Polêmico, o candidato defende ideias combatidas como liberação de uso de armas e de planos trabalhistas que contrariam principalmente as mulheres.

Em 2014, por exemplo, numa entrevista ao jornal gaúcho Zero Hora, Bolsonaro disse: “eu sou liberal. Defendo a propriedade privada. Se você tem um comércio que emprega 30 pessoas, eu não posso obrigá-lo a empregar 15 mulheres. A mulher luta muito por direitos iguais, legal, tudo bem. Mas eu tenho pena do empresário no Brasil, porque é uma desgraça você ser patrão no nosso país, com tantos direitos trabalhistas. Entre um homem e uma mulher jovem, o que o empresário pensa? ‘Poxa, essa mulher tá com aliança no dedo, daqui a pouco engravida, seis meses de licença-maternidade…’”. 

Dia 29 deste mês dois eventos discutem a candidatura de Bolsonaro, em Campo Grande. Na praça do Rádio Clube, por exemplo, também na Avenida Afonso Pena, por Facebook, mulheres contrárias e a favores do presidenciável convocam pessoas para participarem do evento.

* Matéria editada às 16h04 de 24/9 para alterar o nome da organização do evento