TJMS AGOSTO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
segunda, 08 de agosto de 2022 Campo Grande/MS
SENAI SUPER BANNER JULHO E AGOSTO 2022
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
Política

Vídeo: Simone e Fábio Trad participam de ato pela CPI da Pandemia e apoio a Felipe Neto

Mandetta também participou de ação; encontro foi on-line

26 março 2021 - 17h12Por Diana Christie

Da bancada de Mato Grosso do Sul, a senadora Simone Tebet (MDB) e o deputado federal Fábio Trad (PSD) participaram de debate, nesta sexta-feira (26), em defesa da democracia, da abertura da CPI da pandemia e em apoio ao youtuber Felipe Neto, que está sendo investigado por críticas ao presidente Jair Bolsonaro.

O evento on-line é promovido pelo grupo “Direitos Já!” e somou vozes como a do padre Júlio Lancelotti, pastor Levi Araújo, senador Randolfe Rodrigues, o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o ex-governador Geraldo Alckmin, ex-prefeito e ex-ministro Fernando Haddad, os atores Herson Capri e Paulo Betti, e uma série de lideranças dos três poderes, além de representantes da sociedade civil.

Simone, que vem batendo firme pela abertura de CPI, especialmente após a morte do senador Major Olímpio, por covid-19, destacou a tragédia em Manaus, no Amazonas, onde pessoas morreram sem leitos e respiradores. “Estamos falando de fatos continuados. Estamos falando de imagens de falta de oxigênio, de bebês tendo que ser transferidos para outros estados”

“Essa CPI é uma obrigação moral do parlamento investigar. Estamos falando de fatos continuados. Temos que dar resposta não apenas para as 300 mil vítimas que perderam suas vidas para o coronavírus, às 300 mil famílias que estão de luto, são os milhares de vidas que não estão sendo vividas, milhões que foram para linha da pobreza, para a linha da miséria, estão sem emprego, sem renda, sem comida na mesa porque não conseguimos conter a tempo uma pandemia que atingiu em cheio a economia brasileira”, completou.

Fábio Trad também demonstrou apoio à investigação. “Já assinei a CPI (proposta pelo deputado Raul Henry, do MDB). E pretendo que seja deflagrada pelo presidente Arthur Lira, não para condenar, não para punir, mas para investigar, para alcançar a verdade, simplesmente a verdade, nada mais que a verdade. É nosso direito saber a verdade, é nosso dever, enquanto parlamentar, saber por que o Brasil assiste um cenário dantesco: 300 mil pessoas morrendo como se suas vidas fossem coisas”.

Ele destacou como o país virou chacota internacional e risco para o mundo, com a variante mais mortal do coronavírus. “Queremos saber até que ponto aqueles que ridicularizaram, aqueles que negaram o vírus, a vacina, a máscara, até que ponto isso não contribuiu para esse cenário de mortalidade absurda! O Brasil hoje é uma ameaça para o mundo”.

Por fim, Fábio defendeu a liberdade de expressão e foi ovacionado por Felipe, que vem sido duramente atacado pela equipe do presidente. “Eu, por exemplo, ao aceitar estar aqui com vocês, eu fiz uma opção. E estar ao lado do Felipe Neto, desagravando a sua honra, que foi atingida por esses mercenários todos, é estar ao lado da democracia! Porque eu não quero ter a vergonha, daqui a 100 anos, de ver meus bisnetos lendo livros de história e me vendo ao lado da ditadura. Me vendo ao lado daqueles que sacrificaram a liberdade. Por isso que eu estou aqui com este grupo. Por isso que eu tenho certeza de que estou do lado certo da História. Então, ao lado do Felipe Neto pelo que ele sofreu, eu digo: não ao fascismo e sim à democracia".

Assista a discussão completa: