TCE Novembro
TJMS DEZEMBRO
Menu
sábado, 04 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
CAMARA - vacinaçao
Política

Vídeo: Simone Tebet é chamada de descontrolada e CPI termina em bate-boca e tumulto

Ela acusou o ministro da CGU, Wagner Rosário, de agir em favor do presidente Bolsonaro

21 setembro 2021 - 16h41Por Thiago de Souza

O ministro da Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário, bateu boca com a senadora Simone Tebet, em sessão da CPI da Covid, desta terça-feira (21). Ao ser criticado pela parlamentar, Rosário disse que ela estava descontrolada. 

Conforme o G1, Tebet criticou Rosário e insinuou que decisões dele na CGU são para proteger o presidente Jair Bolsonaro. 

"Temos um controlador que passa pano, deixa as coisas acontecer [a favor de Bolsonaro]", afirmou a sul-mato-grossense. Tebet deu o exemplo das três notas fiscais de importação da vacina Covaxin, que segundo ela, somente uma era verdadeira, mas que a Controladoria não fiscalizou direito. 

O ministro da CGU disse que Simone falou inverdades e não entendeu a questão das notas fiscais. Por isso, sugeriu que ela lesse novamente sobre o assunto. 

No entanto, a parlamentar rebateu. 

“Não faça isso. O senhor pode dizer que eu falei inverdades, mas não me peça para fazer algo porque eu sou senadora da República".

A senadora disse ainda que Rosário estava "se comportando como um menino mimado", trouxe o G1. 

"A senhora me chamou de engavetador, me chamou do que quis", disse o ministro. "Me chama de menino mimado, eu não lhe agredi, a senhora está totalmente descontrolada, me atacando", completou.

Com a resposta de Rosário, diversos senadores saíram em defesa da parlamentar. Otto Alencar, do PSD da Bahia, disse que a intenção do ministro era agredir Simone Tebet. 

Devido ao tumulto, o presidente da CPI, senador Omar Aziz, suspendeu a sessão. Além disso, ele sugeriu que o relator Renan Calheiros, do MDB, colocasse Rosário na condição de investigado. 

Simone diz que, no intervalo, o ministro lhe pediu desculpas reservadamente e ela deu o caso como encerrado. No entanto, fez um aviso: 

“Eu digo aos próximos depoentes: ‘não venham armados. Venham desarmados para responder’. Esta Casa não aceita arrogância, petulância, desrespeito", completou.