Menu
sexta, 27 de novembro de 2020
Política

VÍDEO: Reinaldo pede a Bolsonaro socorro imediato contra crise e congelamento de salários

Representando os 27 governadores do País, Reinaldo Azambuja participou de videoconferência com o presidente

21 maio 2020 - 10h44Por Diana Christie

Representando os 27 governadores do País, Reinaldo Azambuja (PSDB) participou de videoconferência com o presidente Jair Bolsonaro, ministros e parlamentares, na manhã desta quinta-feira (21).

No encontro virtual, ele pediu apoio para aprovação imediata do socorro financeiro aos estados, que perderam arrecadação com a pandemia do novo coronavírus, congelamento de salário dos servidores públicos, adiamento na cobrança de dívidas públicas e celeridade nos repasses da Lei Kandir.

“Hoje é um dia histórico, um dia que todos nós sentamos numa mesa, debatemos assuntos importantes. Estamos vivendo um momento de calamidade inédito no Brasil, na maioria dos estados e municípios. Entendemos que precisamos, como disse o presidente Davi (Alcolumbre, DEM), construir pontes para atravessarmos esse momento e temos certeza do gigantismo e da força que o Brasil tem”, declarou.

Reinaldo enfatiza que o dinheiro do Governo Federal é necessário para “socorrer principalmente aqueles assuntos relacionados a saúde” e pede que, se possível, a primeira parcela seja liberada ainda no mês de maio.

“Todos os estados brasileiros pedem a sanção desse projeto de lei complementar. Ele é muito importante devido principalmente a essa queda brutal da atividade econômica, que atingiu a dona de casa, o trabalhador, atingiu o micro, pequeno, médio e grande empresário. E atingiu os governos, municípios, estados e a própria União”, diz.

Ainda em nome de todos os governadores, Azambuja pediu a Bolsonaro para vetar artigo do projeto que permite o aumento dos salários dos servidores públicos.

Ele alega que a média de crescimento da folha salarial é de 3,9% nos estados e 6,9% nos municípios. Segundo esses cálculos, se a média for mantida, o impacto será de R$ 69 bilhões nas receitas dos estados e R$ 62 bilhões nas receitas dos municípios em 2021. “Todos nós estamos dando sacrifícios”, argumenta.

Reinaldo também pediu que os bancos sejam obrigados – e não apenas incentivados – a refinanciar as dívidas públicas, com pausa nas parcelas até dezembro. Na proposta, ele sugere que o saldo devedor seja levado ao final do contrato ou incorporado às parcelas nos anos subsequentes à retomada da cobrança.

Por fim, o governador aproveitou para 'implorar' ao presidente que repasse a primeira parcela referente à Lei Kandir ainda em 2020. “Seria muito bom”, completou.

Leia Também

'Rei do fundo eleitoral', Cláudio Serra é a vergonha das eleições 2020 em MS
Política
'Rei do fundo eleitoral', Cláudio Serra é a vergonha das eleições 2020 em MS
Sorteio da nota premiada MS acontece neste sábado
Geral
Sorteio da nota premiada MS acontece neste sábado
Marquinhos lança licitação para asfalto do Rita Vieira
Cidade Morena
Marquinhos lança licitação para asfalto do Rita Vieira
Força-tarefa autua postos de combustíveis e revendas de gás em Campo Grande
Economia
Força-tarefa autua postos de combustíveis e revendas de gás em Campo Grande